O crime pede carona

O bando, que conta com uma mulher como “isca” para caminhoneiros, roubou uma carreta Volvo e deixou o motorista por cerca de 10 horas preso num cativeiro improvisado

Setor frigorífico acumula R$ 600 milhões em crédito de PIS/Cofins
Aeroporto de Brasília se prepara para o fim de ano
A retomada dos caminhões será mais difícil

Uma quadrilha especializada em roubo de carretas voltou a atacar na Grande Cuiabá neste fim de semana. O bando, que conta com uma mulher como “isca” para caminhoneiros, roubou uma carreta Volvo e deixou o motorista por cerca de 10 horas preso num cativeiro improvisado. O assalto ocorreu no sábado de manhã, no pátio do Posto Quarentinha, na BR-163, nas proximidades de Jangada. No domingo de manhã, policiais rodoviários federais localizaram a carreta abandonada na BR-070, em direção à fronteira com a Bolívia.

Para os policiais, os ladrões roubaram a carreta com o intuito de levá-la para a Bolívia e trocá-la por cocaína. Uma das hipóteses levantadas é a de que o veículo foi abandonado diante do reforço no policiamento na região da fronteira. “A outra hipótese é que o veículo tenha apresentado defeito mecânico. O fato é que, pelo horário descrito por populares, a carreta foi deixada no acostamento horas após o roubo”, posiciona um dos policiais que atenderam a ocorrência.

No assalto, o caminhoneiro foi atraído pela mulher. Em seguida, chegaram os cúmplices armados que o renderam e o colocaram na cabine. Após 10 minutos rodando pela rodovia, o bando o aprisionou no cativeiro improvisado no meio do mato, onde ficou das 11 horas até as 19 horas. A partir daí, foi liberado.

Conforme os policiais, eles desconfiaram da carreta abandonada, uma vez que a empresa proprietária do veículo não costuma fazer a rota em direção a Cáceres. “Além disso, a carreta estava vazia. Com certeza, não iria buscar carga alguma. Ligamos para a empresa e descobrimos que a carreta tinha sido roubada”, relata um dos policiais.

De lá, a carreta foi levada para o posto da PRF no Trevo do Lagarto e transferida para a Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (DERRFVA) da Capital. Policiais plantonistas não têm dúvidas de que se trata de um velho esquema, no qual uma mulher aparece pedindo carona, “isca” para os caminhoneiros. Em alguns casos, lembram os policiais, a mulher chega a entrar no caminhão e pede para parar em determinado local. Assim que diminui a velocidade, o motorista é rendido pelos criminosos.

O delegado Roberto Amorim, titular da DERRFVA, deverá chamar o motorista nos próximos dias para tentar fazer a identificação dos criminosos por meio de fotos existentes nas fichas criminais. Os policiais suspeitam que o bando seja o mesmo que roubou um caminhão com uma plantadeira na semana passada. O motorista foi mantido em cativeiro por quase 12 horas, nas proximidades da fazenda São João, a cerca de 20 km de Cuiabá.

Na sexta-feira, os policiais localizaram a máquina agrícola escondida numa chácara do assentamento Sadia III, na zona rural de Várzea Grande. O chacareiro foi preso por receptação. O irmão dele, que teria comprado a plantadeira, conseguiu fugir do cerco policial.

Link para a matéria

COMMENTS