Entrevista com Marta Suplicy

Região Norte representa desafio logístico para o transportador
Especial: O Brasil vai ser a sede da Libertadores dos motoristas de caminhão, o Scania Driver Competitions
Fábrica de pneus da Sumitomo no Paraná valoriza as estruturas logísticas

Marta Suplicy, do PT

Portal Transporta Brasil: Caso seja eleita, a senhora irá manter as restrições aos caminhões na cidade?

Marta Suplicy: Vamos estudar as medidas já adotadas pela atual administração e outras ações que podem ser implementadas para melhorar o fluxo do sistema viário. Em qualquer cidade, disciplinar o trânsito é uma necessidade, mas isso não pode ser feito às pressas e de qualquer jeito. Precisamos reequipar a CET, de forma que a empresa recupere a capacidade de projetar o impacto de qualquer intervenção no trânsito antes da adoção da medida.

Portal Transporta Brasil: Que medidas podem ser tomadas contra a “frota pirata” da cidade de São Paulo, que são os veículos que não pagam IPVA, multas e licenciamento e circulam impunes?

Marta Suplicy: Fortalecendo a fiscalização e aperfeiçoando mecanismos de controle. Uma parte da responsabilidade, neste caso, cabe ao governo estadual.

Portal Transporta Brasil: A senhora é favorável ao pedágio urbano, solução que se mostrou eficaz em algumas grandes cidades do mundo?

Marta Suplicy: Não. O pedágio urbano não é a melhor e nem a única solução para melhorar o trânsito de São Paulo. Não se pode penalizar quem usa o carro se não há transporte público capaz de garantir a locomoção das pessoas na cidade. Para isso, precisamos construir mais corredores de ônibus e ampliar as linhas de Metrô. Ações de impacto imediato podem ser adotadas, como a contratação de mais marronzinhos para orientar o trânsito e fazer a fiscalização, a implantação de semáforos inteligentes, a operação integrada da CET e SPTrans para garantir a fluidez do trânsito e também do transporte público.

Portal Transporta Brasil: Qual seria a política de uma eventual gestão sua em relação à logística na cidade, criação de Centros de Distribuição e terminais de cargas?

Marta Suplicy: Não podemos criar um clima de que os caminhões são os inimigos da cidade. As medidas para disciplinar o transporte de cargas não podem se limitar a restringir a circulação destes veículos. Isso deve vir acompanhado de um plano bem estruturado, baseado em informações que hoje não existem sobre a quantidade de caminhões, seu destino, horários e áreas de circulação. O plano deve prever o apoio à construção de centros de distribuição e intervenções viárias para melhorar a fluidez da circulação de veículos de carga.

Portal Transporta Brasil: A ampliação do viário urbano em São Paulo é urgente para que o trânsito não sature em curto prazo. Que propostas de obras sua campanha tem para a cidade?

Marta Suplicy: A ampliação do viário urbano precisa ser conjugada com o aumento da oferta de transporte público. Não basta construir ou ampliar avenidas se não houver oferta adequada de ônibus e Metrô, para que as pessoas habituadas a andar de carro tenham a opção de deixar o veículo na garagem e usem o transporte coletivo. Nosso plano prevê um investimento de R$ 16 bilhões para a implantação de 63,1 km de Metrô e mais 300 km de corredores de ônibus até 2014. Temos também um plano de execução de obras estruturantes pela cidade, como a avenida Apoio Norte, que ligará as rodovias Dutra e Bandeirantes, passando por Santana. Vamos fazer também quatro grandes obras em parceria com o Estado: a ampliação da marginal Tietê, a ligação Jacu Pêssego-Mauá, o alargamento da Avenida Bandeirantes e a conclusão da Águas Espraiadas, que chegará até a Rodovia dos Imigrantes.

Voltar para o índice

Próxima publicação
Publicação anterior

COMMENTS