RTE Rodonaves já reajustou frete em 4% com restrição

Aumento da frota, elevação do custo operacional e conseqüente repasse às taxas

Montadoras reduzem taxa de juros para evitar retração
FedEx aumenta abrangência mundial em agenciamento de transportes
ANTAQ abre audiência pública sobre afretamento de embarcação

Aumento da frota, elevação do custo operacional e conseqüente repasse às taxas de coleta e entrega são inicialmente os impactos que a restrição do tráfego de caminhões na capital paulista causa à RTE Rodonaves, empresa de transporte rodoviário de cargas com sede em Ribeirão Preto.

“O anúncio da nova legislação foi feito antecipadamente, de modo que tivemos tempo de nos planejar para manter a qualidade do transporte”, disse Mateus de Oliveira Naves, diretor de negócios da Rodonaves.
Segundo ele, o aumento do custo relacionado à restrição do trânsito de caminhões em São Paulo ainda não está totalmente dimensionado. “Mas, com certeza, houve aumento de custos, pois tivemos de aumentar e redirecionar a frota, tanto de transferência como de distribuição”, afirmou Mateus. Segundo ele, apenas a primeira fase da limitação do transporte de carga na capital paulista levou a um aumento de 4% nas tarifas de entrega e coleta na região. De acordo com a NTC&Logistica, os custos podem subir até 15% com o rodízio.

Rodízio implica investimento

Com frota própria de 440 caminhões e mais 600 de agregados, a Rodonaves atua na cidade de São Paulo com pelo menos 100 veículos para coleta e distribuição de cargas. Na semana passada, a empresa anunciou investimento de R$ 22,45 milhões na aquisição de 90 caminhões Volkswagen e mais 45 carretas. “Parte desse investimento, destinado ao crescimento normal da companhia, acabou direcionado para atender para atender às novas exigências da prefeitura de São Paulo”, afirmou Mateus Naves.

Com 170 unidades de negócios, entre próprias e terceirizadas, a Rodonaves tem filial em São Paulo, no Jaraguá, a 200 metros da Marginal Pinheiros.

Especializada no transporte de carga fracionada e seca, a Rodonaves atua principalmente com a movimentação de autopeças, papel, material para escritório e laboratório, pequenos eletrodomésticos e equipamentos de informática. “A receita é bastante pulverizada”, diz o fundador da companhia, João Naves. Segundo ele, a Rodonaves deverá registrar neste ano receita de R$ 240 milhões, o que representa uma alta de 26,3% em comparação com 2007.

Com matriz em Ribeirão Preto, a Rodonaves tem filiais próprias em São Paulo, Brasília (DF), Uberaba, Uberlândia, Belo Horizonte (MG), Campinas, São José do Rio Preto (SP), Caxias do Sul e Porto Alegre (RS).

Nova sede

A empresa tem ainda outras 140 unidades de negócio terceirizadas, espalhadas pelas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A companhia investe também R$ 8 milhões na construção da nova sede, em área de 34 mil metros quadrados, em Ribeirão Preto, que deverá ser inaugurada em março de 2009.

COMMENTS