Ategão da Mercedes-Benz vai à Fenatran com pacote de durabilidade

Linha completa de caminhões Atego ganhou itens de caminhão off-road e de maior durabilidade pra aguentar o tranco em operação de cliente no transporte rodoviário e rural de leite

Mercedes-Benz renova linha Atego e desenvolve modelo semi-pesado 8×2
Braspress investe em nova frota e nova unidade na Bahia
Testamos o Mercedes-Benz Atego 2430: o semipesado com câmbio automatizado

ategao01

A importância de ouvir o cliente: a Mercedes-Benz tem repetido à exaustão o mantra de que as estradas falam e ela ouve, e isso tem dado bastante resultados pra ela nos últimos meses. Depois de colocar seus caminhões extrapesados de novo na rota da soja, o agronegócio traz mais uma oportunidade para a fabricante da estrela, que agora fez adaptações em toda a linha Atego para oferecer caminhões semipesados mais firmes pra operação de transporte de leite da Via Lácteos.

ategao02

A transportadora, que tinha poucos caminhões Mercedes em sua frota, pediu a colocação de itens de caminhões off-road no Atego 1719 4×2 e no 2426 6×2 rodoviário, criando um novo cross-over, o que gerou a venda de 20 unidades. Seguindo o pedido do cliente, a fabricante criou um “pacote robustez” na linha Atego, que inclui novo pára-choque tripartido, novas longarinas no chassis, pneus mais altos, grades de proteção nos conjuntos de farois e outras diferenças no projeto.

Como pacote robustez, os Atego saem quase pelo mesmo preço dos modelos rodoviários, apenas com o acréscimo dos pneus mais altos. Segundo Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas da Mercedes-Benz, a parceria com os clientes tem valido boas estratégias e produtos. “Ouvir o cliente é realmente o que fazemos e com este novo exemplo que vamos levar à Fenatran este ano, a Mercedes-Benz mostra seu poder de se adaptar e oferecer o melhor produto para a aplicação certa. A operação da Via Lácteos, que transporta leite in natura em todo o Brasil, exige muito do caminhão, rodando em rodovias, áreas rurais e, muitas vezes, em estradas de chão e pavimentos ruins. Com o pacote robustez o caminhão tem mais durabilidade e atende melhor à operação”, disse.

COMMENTS