CCR garante exploração da Rodovia Presidente Dutra até 2034

Pela extensão de 13 anos no acordo, a concessionária terá que investir mais 2,3 bilhões de reais

PRF multa caminhões de transporte de perigosos na Dutra
Dutra tem alteração de tráfego em Jacareí (SP)
CCR NovaDutra lança viga da passarela sobre a Via Dutra, em Guarulhos

dutra-obras

A Rodovia Presidente Dutra, principal ligação entre as cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, terá seu contrato de concessão prorrogado por 13 anos em troca de R$ 2,3 bilhões em investimentos da CCR, empresa atualmente responsável administração da estrada. Com essa extensão, o contrato da empresa, que venceria em fevereiro de 2021, só vai expirar em meados de 2034.

+ ANTT divulga esclarecimentos sobre registro provisório no RNTRC

O período de prorrogação foi definido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) após um processo de análise dos estudos feitos pela concessionária. A proposta de aditivo ainda será objeto de uma audiência pública.

Durante a audiência, as partes interessadas – como usuários da rodovia ou moradores das regiões afetadas pelas obras – poderão dar sugestões para a proposta da ANTT. As contribuições podem resultar em mudanças no formato do aditivo, mas a tendência é de que o prazo de prorrogação não seja alterado.

Trata-se do primeiro aditivo firmado no âmbito do programa de investimentos em concessões existentes, lançado pelo governo federal em junho deste ano, durante a apresentação da segunda etapa do Programa de Investimentos em Logística (PIL). Somente nas rodovias já concedidas, são esperados R$ 15,3 bilhões em investimentos.

+ Por suspeita de sobrepreço no valor do pedágio, TCU quer suspender leilão de rodovia no Paraná

Como contrapartida às obras, as concessionárias podem ser remuneradas com reajustes nas tarifas de pedágio ou com prorrogação dos contratos. A avaliação no governo é de que a maior parte dos aditivos será compensada nas praças de pedágio, mas no caso da Dutra foi possível ampliar o prazo da concessão, que foi assinada em 1995.

Entre as melhorias propostas pela CCR, a mais importante é a construção de uma nova pista para subida da Serra das Araras, trecho sinuoso localizado na região de Piraí (RJ). A atual subida, que está em boas condições de tráfego, será revertida em descida. A obra deverá custar R$ 1,7 bilhão, mais da metade do valor total do investimento proposto pela concessionária.

+ Experiência e noções de mecânica são trunfos para guiar as carretas da RTE Rodonaves

Além da Serra das Araras, o projeto prevê a construção de marginais nas áreas da rodovia que passam pelas cidades de São Paulo, São José dos Campos e Rio de Janeiro. Também estão previstas obras para aumentar o nível de segurança da rodovia.

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

COMMENTS