Número de mortes na rodovia Régis Bittencourt cai 19%

Queda corresponde ao índice analisado no primeiro semestre de 2015, na comparação com o mesmo período do ano passado

Artesp lista dez pontos de rodovias paulistas sujeitos a neblina intensa
Simulação de acidente com carga perigosa na SP-332 mobiliza polícia e equipe da Rota das Bandeiras
Cargolift controla acidentes com programa de direção segura e responsável

regis-rodovia-serra

De acordo com a concessionária Arteris, responsável pela administração da rodovia Régis Bittencourt no trecho entre São Paulo e Curitiba, houve uma queda de 19% no número de vítimas fatais no primeiro semestre de 2015, na comparação com o mesmo período de 2014.

Considerada uma das estradas mais perigosas do Brasil, a “Rodovia da Morte”, conhecida por alguns, registrou, de janeiro a junho deste ano, 52 casos, frente a 64 ocorrências ocorridas no ano passado. Esse número de vítimas fatais é o menor registrado no período, desde o início da concessão, em 2008.

Recentemente foram implantados radares fixos ao longo da rodovia. Os equipamentos entraram em operação de multas no final de junho deste ano. Os radares, que funcionavam de forma educativa desde fevereiro de 2014, já resultaram na redução de acidentes na rodovia. Até 2020, a Arteris tem a meta de reduzir esse índice em 50% nas rodovias que administra.

Comparando os primeiro seis meses de 2015 e 2014, o número de acidentes reduziu na ordem de 50% nos trechos com radares entre Cajati e Barra do Turvo. Em um único ponto na região de São Lourenço da Serra (SP), a redução foi de 80%.

COMMENTS