Volvo e OHL promovem Fórum de Segurança no Trânsito 2011

Evento teve como finalidade mostrar soluções para a redução de fatalidades e feridos em acidentes de trânsito no período de 2011 a 2020

Santos Brasil completa um milhão de horas sem acidentes
Projeto estuda cadastro de motoristas alcoolizados e agrava pena para a infração
Volvo quer adotar visão Zero Acidentes no Brasil

Em resposta ao compromisso com a Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito, a montadora Volvo e a concessionária de rodovias OHL promoveram na semana passada, em Brasília (DF), o Fórum de Segurança no Trânsito 2011, evento que teve como intuito mostrar as soluções para a redução de fatalidades e feridos em acidentes de trânsito no período de 2011 a 2020.

Na ocasião, foram mostrados os modelos de ações aplicadas na Austrália, Espanha e outros países da Europa, que podem ser aplicados no Brasil. Os exemplos revelaram os efeitos da abordagem sistêmica de segurança no trânsito, e em todos os casos há a conjunção dos temas educação, fiscalização rigorosa e punição para todos os infratores, tratados indistintamente.

Também foi mostrado que há vários focos de mobilização mais ou menos organizados em vários pontos do País, todos voltados a reduzir o número de acidentes e mortes. Atualmente, o Brasil está entre as dez nações com o maior índice de mortalidade no trânsito.

“O governo precisa criar uma agência líder, com estrutura capaz de tomar decisões eficientes e ágeis, que envolva também outros setores da sociedade”, analisou o consultor do Banco Mundial em Segurança no Trânsito, Eric Howard, autor do conceito de abordagem sistêmica de segurança no trânsito.  “É preciso identificar líderes-chave capazes de estabelecer metas e focar nos resultados, determinar aonde se quer chegar e que intervenções deverão ser feitas, onde, por que meios e o que cada indivíduo pode fazer para que se possa chegar aos resultados”, ressaltou Haward.

O Diretor da DGT (Dirección General de Tráfico), órgão máximo de tráfego do governo da Espanha, Pere Navarro, também esteve presente no evento e apontou várias semelhanças entre as culturas brasileira e espanhola.

“Se o país europeu conseguiu reduzir em 57% o número de mortes por acidentes de trânsito em sete anos, o Brasil poderá atingir níveis muito satisfatórios durante a década, desde que haja vontade política”, disse. Segundo ele, é preciso levar a pauta de discussões para dentro dos partidos políticos, pois só assim pode-se gerar uma demanda pública que abre a possibilidade para o surgimento da vontade política.

Navarro foi responsável pela implantação de um programa que atua de forma rigorosa na fiscalização e contra os excessos que violam as normas previstas.

“O Fórum foi o momento para fortalecer as ações que visem a reduzir o número de mortos nas rodovias, para tornar o trânsito mais seguro, em consonância ao que determina a Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito”, destacou José Carlos Ferreira de Oliveira Filho, presidente da OHL Brasil.

COMMENTS