Inflação medida pelo IPCA encerrará 2015 em 7,93%, segundo boletim Focus

Projeção publicada anteriormente havia sido de 7,77%; PIB terá retração de 0,78% contra 0,66% previsto antes pelo mercado

Banco Central estima aumento de 9,1% do preço da gasolina em 2015
Ex-presidente do Banco Central integra Conselho da Azul Linhas Aéreas
Mercado prevê inflação em 8,12% no final do ano

selic-taxa-impostos

Conforme dados do boletim Focus, pesquisa realizada com instituições financeiras e divulgada semanalmente pelo Banco Central, a inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) encerrará 2015 em 7,93%, e não mais em 7,77% como na última previsão divulgada.

Os preços administrados, aqueles regulados pelo governo como os da gasolina e da energia, por exemplo, subirão 12%. Antes, a estimativa era 11,18%.

Considerando aspectos do PIB (Produto Interno Bruto), a projeção é que a economia terá retração de 0,78% contra 0,66% previsto anteriormente. Para a produção industrial, é esperada queda de 2,19%, e não mais o recuo de 1,38% estimado antes. No caso do câmbio, a projeção é que o dólar encerre o ano em R$ 3,06, nível superior à previsão anterior de R$ 2,95.

A expectativa para o fechamento da Selic, taxa básica de juros da economia e principal instrumento do BC para controle da inflação, permaneceu em 13% ao ano para 2015. Isso significa que o mercado espera que o Comitê de Política Monetária da instituição eleve a taxa mais uma vez este ano em 0,25 ponto percentual. Em sua última reunião, nos dias 3 e 4 de março, o Copom subiu a Selic em 0,5 ponto percentual, chegando a 12,75% ao ano.

A dívida líquida do setor público continuou estimada em 38% do PIB. O déficit em conta-corrente, que mede a qualidade das contas externas, ficou em US$ 79,5 bilhões. Já a projeção anterior era US$ 79,1 bilhões. O saldo previsto para a balança comercial retrocedeu de US$ 4 bilhões para US$ 3 bilhões. Os investimentos estrangeiros avaliados sofreu decréscimo, de US$ 60 bilhões para US$ 57,5 bilhões.

Com informações da Agência Brasil

COMMENTS