IPI volta a ser integral para carros, mas caminhões permanecem isentos

IPI volta a ser integral para carros, mas caminhões permanecem isentos

Preço médio do carro deverá subir aproximadamente 4,5% com alíquota cheia, válida desde 1º de janeiro

Detran/MS terá banco de dados com imagens de veículos vistoriados e emplacados
São Paulo inicia programa piloto para taxi elétrico
Suspensys lança nova gama de suspensões para aplicações de veículos comerciais

montadora-veiculos-producao

A cobrança do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) voltou a ser integral para carros desde 1º de janeiro. Sendo assim, utilitários e algumas categorias de automóveis sofreram reajustes significativos. No caso dos caminhões, alíquota permanece em 0%.

O setor prevê que o imposto cheio fará com que o preço médio do carro suba aproximadamente 4,5%, em média.

A redução do IPI teve significativa importância como medida do governo federal para conter a baixa nas vendas logo no início de 2012. O retorno gradual do imposto inteiro começou a valer logo em 2013.

Confira na tabela abaixo o IPI praticado no início de 2015:

tabela-ipi-novo

COMMENTS