Porto do Açu (RJ) recebe R$ 483,3 milhões em investimentos no 2º trimestre de 2014

Desde o início da construção, em 2007, até junho deste ano, já foram aplicados R$ 5,5 bilhões na unidade portuária

NMHG Brasil anuncia construção de unidade em Itu (SP)
Rodolatina deve encerrar 2010 com 3,5 milhões de toneladas de cimento transportadas
Volvo equipamentos de construção expande negócios na Bolívia

porto_de_acu

A Prumo, administradora do Porto do Açu, localizado em São João da Barra (RJ), divulgou, nesta quarta-feira (13/8), os resultados do segundo trimestre deste ano. A unidade portuária recebeu investimentos de R$ 483,3 milhões no período.

Deste montante, R$ 208,1 milhões foram aplicados pela Ferroport (joint venture formada 50% pela Prumo e 50% pela Anglo American), responsável pelo desenvolvimento do Terminal de minério de ferro do Porto. O dinheiro foi investido na construção do quebra-mar, dragagem, gestão fundiária e meio ambiente, entre outros empreendimentos. Também foram investidos R$ 1,3 milhão na montagem da rede de energia elétrica da Linha de Transmissão de 138 kV, que conecta a subestação de Campos ao Porto do Açu.

Já a Prumo aplicou R$ 307,5 milhões na construção do Terminal 2 e na construção do quebra-mar do Terminal 1, e infraestrutura do Porto do Açu. Os valores foram investidos na construção do canal, quebra-mar, construção de cais do TMULT (Terminal Multicargas) e de nossos clientes. Além disso, as obras para implantação da Linha de Transmissão de 345 kV, que conectará o Porto do Açu ao Sistema Interligado Nacional, consumiram R$ 22,9 milhões no trimestre.

No período, houve ainda investimentos em projetos de engenharia e gerenciamento de obras, gestão fundiária, segurança patrimonial e operação, despesas administrativas, sustentabilidade e pavimentação e manutenção de estradas.

Desde o início da construção, em 2007, até junho deste ano, já foram aplicados R$ 5,5 bilhões no empreendimento, sendo que R$ 2,5 bilhões foram investidos pela Anglo American e pela Ferroport (antiga LLX Minas-Rio) e R$ 3 bilhões pela Prumo.

COMMENTS