Porto do Açu (RJ) recebe R$ 483,3 milhões em investimentos no 2º trimestre de 2014

Desde o início da construção, em 2007, até junho deste ano, já foram aplicados R$ 5,5 bilhões na unidade portuária

Honda inicia construção de sua fábrica de automóveis em Itirapina (SP)
Volvo faz lançamento de peso no segmento off-road com o novo VM de 32t e mira novos mercados
Petrobras assina contrato para construção de terminal oceânico

porto_de_acu

A Prumo, administradora do Porto do Açu, localizado em São João da Barra (RJ), divulgou, nesta quarta-feira (13/8), os resultados do segundo trimestre deste ano. A unidade portuária recebeu investimentos de R$ 483,3 milhões no período.

Deste montante, R$ 208,1 milhões foram aplicados pela Ferroport (joint venture formada 50% pela Prumo e 50% pela Anglo American), responsável pelo desenvolvimento do Terminal de minério de ferro do Porto. O dinheiro foi investido na construção do quebra-mar, dragagem, gestão fundiária e meio ambiente, entre outros empreendimentos. Também foram investidos R$ 1,3 milhão na montagem da rede de energia elétrica da Linha de Transmissão de 138 kV, que conecta a subestação de Campos ao Porto do Açu.

Já a Prumo aplicou R$ 307,5 milhões na construção do Terminal 2 e na construção do quebra-mar do Terminal 1, e infraestrutura do Porto do Açu. Os valores foram investidos na construção do canal, quebra-mar, construção de cais do TMULT (Terminal Multicargas) e de nossos clientes. Além disso, as obras para implantação da Linha de Transmissão de 345 kV, que conectará o Porto do Açu ao Sistema Interligado Nacional, consumiram R$ 22,9 milhões no trimestre.

No período, houve ainda investimentos em projetos de engenharia e gerenciamento de obras, gestão fundiária, segurança patrimonial e operação, despesas administrativas, sustentabilidade e pavimentação e manutenção de estradas.

Desde o início da construção, em 2007, até junho deste ano, já foram aplicados R$ 5,5 bilhões no empreendimento, sendo que R$ 2,5 bilhões foram investidos pela Anglo American e pela Ferroport (antiga LLX Minas-Rio) e R$ 3 bilhões pela Prumo.

COMMENTS