Rodovia do Café passa por obras de duplicação em trecho de Ponta Grossa (PR)

Nesta primeira etapa, serão duplicados 11 quilômetros e haverá uma nova ponte, que ficará sobre o rio Tibagi

ALL finaliza primeira etapa da duplicação da ferrovia entre Campinas e Santos (SP)
BR-163 ganha mais 25 quilômetros de pistas duplicadas
Ativa dobra tamanho de centro de distribuição e espera crescer 18% ainda em 2012

obras-rodovia-cafe

As obras de duplicação da Rodovia do Café (BR-376), em Ponta Grossa (PR), começaram no último dia 16/1. Os serviços tiveram início em dois pontos às margens da rodovia. É a primeira etapa de toda a duplicação que será feita entre Ponta Grossa e Apucarana, ligando os Campos Gerais ao Norte do Estado, somando 231 quilômetros duplicados.

A obra, feita pelo Governo do Paraná em parceria com a concessionária RodoNorte, abrange, nesta etapa, 11 quilômetros de duplicação e uma nova ponte, que ficará sobre o rio Tibagi.

Inicialmente, os trabalhos de limpeza de vegetação e topografia estão sendo executados nos dois pontos (km 474 e 472) próximo a Ponta Grossa sentido Apucarana.

Segundo a RodoNorte, a nova pista terá 7,2 metros de largura, acostamentos e ficará separada da atual pista por meio de um canteiro central de nove metros. Além disso, serão construídos dois viadutos sobre a rede ferroviária e quatro retornos. Há também previsão para corrigir horizontalmente e verticalmente as curvas. O prazo para conclusão desta primeira fase é de 15 meses.

Já os demais trechos que farão parte da duplicação estão com o projeto executivo em andamento, assim como a ligação entre Apucarana e Califórnia. Toda a obra será feita em etapas. Após os 11 primeiros quilômetros, serão duplicados mais dez quilômetros , cujo projeto está em fase final, e assim por diante. Após finalizado um trecho já será iniciada a duplicação do trecho seguinte. Os projetos e liberações ambientais também serão feitos ao longo de todo o processo, para agilizar a obra.

O investimento previsto para duplicar a Rodovia do Café, que faz parte do contrato de concessão que durará até 2021, é de R$ 1 bilhão.

Com informações da Agência Paraná de Notícias

COMMENTS