Governo avalia plano de renovação de frota de vagões e locomotivas

Com um programa de longo prazo, mercado do segmento poderia regularizar, eliminando os picos e quedas na produção

Montadoras de caminhões retomam produção, mas 2012 deverá ser menor que 2011
Rossetti lança furgão de alumínio inédito no Brasil, totalmente colado
MVC inaugurará unidade produtiva em Caxias do Sul (RS)

ferrovia-graos

Segundo Tólio Edeo Ribeiro, coordenador geral do MDIC (Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), o governo federal está examinando a proposta de renovação de frota de vagões e locomotivas feita pela Abifer (Associação Brasileira da Indústria Ferroviária) e ANTF (Associação Nacional de Transportadores Ferroviários).

As concessionárias deixam de recolher as taxas de arrendamento e os recursos vão para o programa de substituição de 1.429 locomotivas e 40.700 vagões obsoletos. Com um programa de renovação de longo prazo, o mercado de vagões e locomotivas poderia regularizar, eliminando os picos e quedas na produção, protegendo os empregos.

Pronunciamento ocorreu nesta semana, durante a Rail Brazil Tech & Business Summit. Na ocasião, em palestra sobre Política Industrial para o setor Metroferroviário, Ribeiro também apresentou as políticas de incentivos à indústria ferroviária e à infraestrutura. Apontou as medidas de apoio ao setor como o PAC das Ferrovias, o PIL (Programa de Investimentos em Logística), o PAC da Mobilidade Urbana e as linhas de financiamento para fabricantes de implementos e para transportadores ferroviários de passageiros, como Finame.

O coordenador também citou as margens de preferência prevista no Decreto 7.813/2012 e o conteúdo local, que o governo pode exigir dos fabricantes visando proteger a indústria nacional.

COMMENTS