CNJ começa a vender 80 mil peças dos aviões da Vasp

Além disso, a sucata resultante da desmontagem de quatro aeronaves e um aparelho inteiro também serão leiloados

Grupo chinês compra fatia da Azul Linhas Aéreas por 1,7 bilhão de reais
Azul anuncia Antonoaldo Neves como novo presidente
Azul substitui ATR por jatos em uma de suas frequências para Presidente Prudente (SP)

Na quinta-feira (26), cerca de 80 mil peças dos antigos Boeing e Airbus da extinta Vasp começam a ser vendidas no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP). A iniciativa, parte do Programa Espaço Livre – Aeroportos, da Corregedoria Nacional de Justiça (CNJ), é direcionada principalmente às empresas de manutenção de aeronaves.

O objetivo do programa é remover dos aeroportos toda a sucata de aviões pertencentes a empresas aéreas que faliram nos últimos anos e que ainda ocupam espaços nos terminais, por meio da articulação de ações entre os vários órgãos envolvidos (CNJ, Secretaria Especial da Aviação Civil da Presidência da República, Agência Nacional de Aviação Civil, Infraero, Ministério da Defesa, TCU, Tribunal de Justiça de São Paulo e Ministério Público de São Paulo).

Entre todas as peças que serão vendidas há desde arruelas, parafusos e mesas de refeição até asas e turbinas. Elas serão comercializadas em lotes, mas por meio de livre negociação entre o interessado e o juiz responsável pela causa.

Os valores arrecadados serão revertidos para pagamento dos credores da empresa, principalmente trabalhistas. Os interessados em adquirir as peças devem se cadastrar previamente junto à 1ª Vara de Falências de São Paulo, que fica no Fórum João Mendes Júnior, localizado na Praça da Sé, no centro da capital paulista.

Leilão

No dia 6 de fevereiro, um Boeing 737-200 da Vasp e a sucata resultante do desmonte de quatro aviões serão leiloados na Casa de Portugal, no bairro da Liberdade, em São Paulo. Avaliada em R$ 100 mil, a aeronave está inteira, mas não pode voar. Já os conjuntos de sucata, estão avaliados em R$ 30 mil cada.

COMMENTS