Entidade nacional das empresas de transporte alerta setor para reajuste de 18% nos fretes

Estudo realizado pela Associação Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas e Logística (NTC&Logística) aponta para a necessidade de nova readequação tarifária no setor, para viabilizar o crescimento do setor e garantir o atendimento à demanda do mercado, em crescimento

Ministério dos Transportes vai privatizar a BR-040
Graça Foster poderá assumir presidência da Petrobras
Grupo CCR promove ações de conscientização na Semana Nacional de Trânsito

A NTC&Logística, Associação Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas e Logística, enviou na semana passada um comunicado a todo o mercado com uma recomendação de reajuste de 18% nos fretes. Segundo o presidente da entidade, Flávio Benatti, o cenário desenhado para o setor em 2009, com dificuldades operacionais, falta de veículos e crise internacional, causaram grandes atrasos nas entregas e as empresas devem rever os valores cobrados pelos serviços prestados para que se possa atender às necessidades imediatas do transporte de cargas e da logística brasileiros.

Uma pesquisa realizada pela Associação revelou, em outubro de 2009, a necessidade de reajuste em 15% dos fretes, mas, de acordo com a entidade, muitas empresas não conseguiram praticar as novas tarifas. Após nova pesquisa, a entidade sugere que agora o reajuste deve ser de 18%. “Quem não conseguiu repassar os fretes naquele período, deve compensar agora. Além disso, é importante que as empresas sejam remuneradas pelos serviços adicionais, como o tempo de espera dos caminhões nos clientes e nos postos fiscais, a permanência da carga nos terminais, a cubagem das cargas volumosas, o manuseio e custos com gerenciamento de riscos, entre tantos outros fatores que contribuem para formar o valor cobrado pelo serviço”, diz Benatti.

A NTC&Logística defende que a  crise mundial trouxe consequências graves para a atividade de transporte de cargas e, como forma de proteger e preservar suas cartelas de clientes, as empresas tiveram que adiar investimentos e cederam a pressões do mercado, concedendo descontos nos serviços.

Agora, enxergando um horizonte de retomada da economia, a entidade alerta para o novo cenário. “Diante do quadro em que o setor se encontra, é necessário fazer o realinhamento do frete, pois somente assim, as empresas poderão cobrir os custos, recompor a margem de lucro e investir para que a demanda seja atendida de forma eficiente e com qualidade”, assegura Benatti.  Para o presidente da NTC&Logística, o País todo perderá caso o valor dos fretes não seja reajustado.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS