Importações de carros pelo Porto de Paranaguá crescem 22% em outubro

Foram desembarcadas no Porto de Paranaguá 8.915 unidades de veículos

Ônibus de Curitiba irão rodar com biocombustível
INTERMODAL: Empresas atuam na contramão da crise e investem
Demanda doméstica da TAM cresce 15% em setembro

As importações de veículos pelo Porto de Paranaguá tiveram um crescimento de 22,16% no mês de outubro, quando foram desembarcadas 8.915 unidades: sinal de recuperação nas vendas no mercado interno. A Renault, por exemplo, uma das montadoras que operam no complexo portuário paranaense, anunciou resultados recordes de vendas, no mês passado, com 12.816 unidades comercializadas – volume 38% superior ao mesmo mês de 2008.

Neste mês de novembro, os desembarques de carros da Renault continuam em alta, o que levou a montadora a utilizar o novo Pátio Público de Veículos da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), já que as outras duas estruturas públicas de armazenagem, próximas ao cais, já estavam com outros 2,6 mil carros estacionados.

Segundo informações da área operacional da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), nesta semana o navio Dresden, de bandeira panamenha, atracou no cais de Paranaguá para desembarcar 1.490 veículos. Para dar espaço a esse carregamento, 1.111 unidades do modelo Nissan Tida, vindos do México e que já estavam nacionalizados, foram transferidos para o novo pátio em frente ao prédio da Appa. A operação foi autorizada pela Receita Federal de Paranaguá.

A expectativa da Appa é que operações semelhantes a essa em que seja necessário o uso do novo pátio se repitam até o final do ano, já que as projeções do setor automobilístico são de manutenção no crescimento das vendas internas e, também, de recuperação nas exportações.

Os números da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) desenham um cenário mais otimista para os últimos meses do ano, considerando os resultados de outubro. A produção de veículos, no mês passado, foi 316,0 mil – a segunda maior da história, segundo a associação -, superando em 15,7% o volume de setembro e em 6,3% o volume de outubro de 2008.

Até outubro, o desempenho do setor automobilístico nacional não foi suficiente para reverter a queda nas exportações decorrente da crise mundial. No acumulado deste ano (janeiro a outubro), a indústria de veículos amargou retração 27,24% na vendas externas. Os resultados de setembro – quando se registrou crescimento de 60% nos embarques de veículos pelo Porto de Paranaguá – contribuíram, significativamente para que o recuo no acumulado dos dez meses chegasse a esse patamar. No início do ano, a queda era de 67% frente ao desempenho de janeiro de 2008. A reversão na queda das exportações ficou mais perceptível a partir de maio.

COMMENTS