Veículos de transporte de perecíveis estão sendo indevidamente multados em São Paulo

Utilitários, vans e furgões para o transporte frigorificado de produtos perecíveis, que estão por lei fora da abrangência do rodízio veicular municipal de São Paulo, estão recebendo multas diárias e acumuladas, gerando transtorno para empresas transportadoras. Secretário municipal de Transportes Alexandre de Moraes afirmou que cuidará do assunto em fraca participação em fórum de transportadores realizado na capital paulista

MAN consolida liderança no mercado pelo nono ano
Antos “enxerga” seu entorno para entregar cerveja na Alemanha
TV Transporta Brasil: um “Mercedinho” automatizado

Os veículos de transporte de produtos perecíveis, de acordo com a lei municipal de São Paulo que instaurou o rodízio veicular, são isentos de multas e da obrigação de obediência aos dias das placas na maior cidade do País. Tal exceção é bastante lógica, já que, entre outras a atividades essenciais, o transporte de produtos perecíveis, como alimentos refrigerados, não pode ter restrições devido a uma série de motivos, como a necessidade de manutenção das características da carga e a escassez de veículos para este fim.

Mas, a prefeitura de São Paulo e a secretaria de Transportes não estão respeitando a excepcionalidade do transporte de perecíveis na capital paulista. Diversas empresas de transporte estão reclamando que seus veículos, mesmo frigorificados, transportando produtos perecíveis e cadastrados na prefeitura como exceção ao rodízio, estão sendo multados com freqüência, inclusive sendo considerados reincidentes nas multas e gerando grandes prejuízos a seus donos.

Este é o caso da Três Gerações, empresa de São Paulo especializada no transporte de cargas fracionadas refrigeradas, que já coleciona pelo menos R$ 60 mil em multas indevidas de rodízio. Segundo o diretor da empresa, Manuel Fernandez Gouveia, as multas chegam todos os dias e, como não há a indicação do condutor dos veículos, “chegam em dobro e em progressão assustadora”, diz o transportador.

O consultor especializado em transportes Laudizio Marquesi considera a falha grave e cobra da prefeitura uma resolução imediata do problema. “Em minha opinião, existe um problema no sistema do DSV, ou seja, quando a multa de rodízio é registrada, tanto o setor de multas quanto os radares não estão municiados dos dados dos veículos que estão registrados na secretaria Municipal de Transportes como exceção ao rodízio. Esta é uma falha técnica que merece ser rapidamente sanada para que não cause mais prejuízos para as empresas. Considero que a prefeitura deva  fazer uma ação para a extinção imediata das multas aplicadas indevidamente até o momento”, disse Marquesi à reportagem do Portal Transporta Brasil.

Confira as atividades cujos veículos são exceção no rodízio de São Paulo

info-zmrc2

Resolução do problema

Em uma reunião realizada semana passada no Sindicato dos transportadores de São Paulo, durante um fórum de debate sobre mobilidade urbana e sobre as restrições à circulação de veículos de carga na cidade, o secretário de Transportes Alexandre de Moraes prometeu resolver o problema, apesar da fraca atuação no debate com os transportadores. “Assim que eu chegar em meu gabinete, darei atenção especial a este assunto das multas indevidas aos veículos de transporte de perecíveis”, disse Moraes no evento.

Apesar da declaração do secretário, nenhuma ação foi tomada pela prefeitura para resolver o problema até o fechamento desta edição.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – reportagem Portal Transporta Brasil

Leia mais notícias sobre multas:

Prefeitura de São Paulo formaliza cancelamento das multas na Marginal Pinheiros

Excesso de carga volta a ser punido

Infrações leves poderão deixar de marcar pontos na carteira de motorista

Motoristas ganham para assumir ponto na carteira

COMMENTS