Malha paulista abre espaço para ALL crescer na carga industria

Aumentar o transporte de produtos industrializados é a meta da América Latina Logística (ALL) para os próximos dois anos. Atualmente, 30% do que é movimentado pelos trilhos da companhia são cargas industrializadas

Governo de São Paulo conclui ligação Dutra – Carvalho Pinto
Imposto de Renda sobre férias vendidas pode ser recuperado
GOL faz acordo com alemã Condor Airlines

São Paulo, 13 de Agosto de 2008 – Aumentar o transporte de produtos industrializados é a meta da América Latina Logística (ALL) para os próximos dois anos. Atualmente, 30% do que é movimentado pelos trilhos da companhia são cargas industrializadas. O diretor financeiro e de relações com investidores, Sérgio Pedreiro, explicou que com a malha da antiga Brasil Ferrovias o transporte de grãos passou a ser mais representativo nos resultados da companhia. Até a compra da empresa, a ALL mantinha uma média de 50% de cargas industrializadas.

“Teremos muitas oportunidades principalmente na malha paulista. Investimos muito para aumentar a capacidade de transporte desse trecho”, disse Pedreiro. No segundo trimestre, o volume transportado de produtos industrializados cresceu 14%, com aumento em todos os segmentos, com destaque ao crescimento de cimento e combustíveis. “Continuamos nossa trajetória de crescimento nos volumes intermodais, com aumentos de 19% em alimentos, 17,3% em florestais e 13,8% em contêineres. Nos fluxos exclusivamente ferroviários, as cargas de construção obtiveram um incremento de 18,4%”, afirmou Pedreiro. No primeiro semestre a ALL transportou no País, 16 bilhões de toneladas por quilômetros úteis (TKU), volume 18,2% superior ao movimentado no mesmo período de 2007.

R$ 325 milhões de aportes

O executivo acrescentou que a ALL já investiu R$ 325 milhões no primeiro semestre deste ano, sendo que a maior parte dos recursos foram aplicados na malha da Brasil Ferrovias.

“Fizemos muitos aportes na compra de locomotivas, vagões e na troca de trilhos na malha Norte de nossa operação. Esses investimentos estão constantes, isso para atingirmos os mesmo níveis de eficiência do trecho que já operávamos”, ressaltou Pedreiro. Por ano, a ALL prevê investir R$ 700 milhões.

Lucro no trimestre

A alta da safra agrícola impulsionou os resultados da ALL no segundo trimestre deste ano. A companhia apresentou lucro líquido consolidado de R$ 105 milhões, valor 91,6% superior ao apurado no mesmo período do ano passado, quando a companhia lucrou R$ 55,3 milhões. A ALL Brasil apresentou crescimento de 87,7% no lucro, passando de R$ 58,8 milhões para 110,4 milhões. Já a receita líquida foi de R$ 673,5 milhões ante R$ 538,9 milhões no segundo trimestre de 2007, crescimento de 25%.

O Ebitdar (lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguéis de ativos) registrado no período foi de R$ 376,7 milhões, 22,5% superior ao segundo trimestre de 2007. O Ebitda registrou um crescimento de 30,6%, para R$ 336,4 milhões, devido à diminuição de aluguéis de vagões.
(Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 3)(Ana Paula Machado)

Link para a matéria

COMMENTS