Não é nada mole ser motorista no Brasil

Não é nada mole ser motorista no Brasil

Dia 25 de julho celebra o Dia de São Cristóvão e a profissão de motorista: uma das mais difíceis, penosas e complicadas

Novembro Azul: se cuida, rapaz!
RTE Rodonaves escreve o nome de todos os seus motoristas em pintura especial de frota
SETCJF promove evento em comemoração ao dia do motorista, em Juiz de Fora (MG)

Roubo de cargas. Diesel nas alturas. Estradas ruins. Falta de segurança. Longos períodos longe de família. Falta de respeito dos recebedores de cargas. Longas esperas. Falta de perspectivas… São mais de 50 mil mortes violentas no trânsito brasileiro todos os anos. Mais de 15 mil roubos de carga. Milhares de tombamentos, acidentes que poderiam ser evitados…

A lista de motivos para NÃO ser um motorista de caminhão ou de ônibus no Brasil é grande. Se cada profissional que trabalha e ganha a vida ao volante for levar em consideração esta lista de problemas, vai desistir antes da primeira viagem.

Ser motorista no Brasil é ter salário baixo, é lutar para conseguir o primeiro emprego sem experiência, é sonhar com um caminhão novo ao mesmo tempo em que se luta para pagar as prestações do caminhão velho.

É rodar com veículo com mais de 20 anos de idade, gastar o dinheiro do aluguel para comprar um pneu que estourou no caminho, sofrer com a falsa comunicação de frete no aplicativo descuidado.

E as mulheres, então? Ser caminhoneira ou motorista de ônibus é sofrer com preconceito, com falta de condições mínimas para a permanência nos locais da operação, com tantos problemas e desestímulos que fica difícil seguir em frente.

Mas, se é tão difícil ser motorista no Brasil, por que ainda existem milhões de apaixonados que não largam essa profissão por nada? A resposta é simples: porque quem trabalha com transporte, quem transporta o Brasil de verdade, faz isso por amor à profissão, por vocação, por não se enxergar fazendo outra coisa nessa vida.

Chegou mais um dia 25 de julho e o que mais se vê por aí é empresa aproveitando a oportunidade de fazer marketing para os e as motoristas, elogiando os profissionais do volante, colocando todos eles para cima. Mas, e quando passa essa data?

Este dia é emblemático: é marcado pela história católica de Reprobo, um homem que sentiu todo o peso da humanidade nas costas ao transportar nos ombros uma criança na travessia de um rio turbulento. Como reza a lenda, esta criança era Jesus Cristo e o transportador ficou famoso por seus feitos, ganhando o título de santo, o tão cultuado São Cristóvão.

Adianta pedir para São Cristóvão abençoar os motoristas, se o governo e a sociedade não os valorizam? Adianta sonhar com um transporte melhor se quem trabalha com caminhão ainda sofre com problemas tão básicos? Como diz o título deste editorial, não é nada mole ser motorista no Brasil.

Mas, o que podemos fazer por eles e elas? Valorizar. Lutar por estes profissionais e dar voz a eles. Um feliz Dia do Motorista a todos!

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS