Fabricantes de implementos rodoviários amargam pior quadrimestre da década

Apesar da queda acumulada nas vendas de 26,7% em comparação com período do ano passado, segmento confia em retomada iminente

Implementos acompanham caminhões também em recuperação nas vendas
Implementos em ritmo de recuperação
Produção de implementos rodoviários poderá fechar 2020 no mesmo nível do ano passado

queda-venda-implementos

Os fabricantes de implementos rodoviários tiveram o pior primeiro quadrimestre da década, somando 15.409 unidades negociadas, entre veículos rebocados e implementações sobre chassis. O decréscimo é de 26,7% sobre o mesmo período de janeiro a abril do ano passado.

As vendas de reboques e semirreboques caíram 18,77% no primeiro quadrimestre de 2017 com relação ao mesmo período de 2016. Ao todo, foram emplacadas 6.615 unidades. No segmento de carrocerias sobre chassis, com 8.794 unidades entregues aos clientes, o resultado dos quatro primeiros meses de 2017 ficou 31,69% abaixo do registrado um ano antes.

Por outro lado, segundo a Anfir alguns segmentos no mercado de carretas já começam a apresentar variação positiva, como é o resultado dos baús de carga geral, transporte de toras, baús frigoríficos e baús lonados.

“Ainda é cedo para considerar que iniciamos a esperada recuperação, mas os números não deixam dúvidas que alguns segmentos já estão respondendo bem”, afirma Mario Rinaldi, diretor executivo da Anfir. “A reação no segmento leve (carrocerias sobre chassis) demora e acontece sempre em consequência da reação no setor pesado (reboques e semirreboques)”, conclui.

COMMENTS