Rios Tapajós, Teles Pires e Juruena podem ganhar rota de transporte por hidrovia

Rotas serão usadas para escoamento da produção de grãos e minérios no Norte e Centro-oeste

Porto Chibatão (AM) investe R$ 80 milhões em infraestrutura
Log-In lança seu primeiro navio para o transporte de minério
Pesquisa da ANTAQ revela movimentação de 14,5 mi de passageiros anuais na Região Amazônica

hidrovia-cnt-pesquisa

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou um projeto que autoriza o aproveitamento da água em trechos das hidrovias dos rios Tapajós, Teles Pires e Juruena para o transporte de cargas.

+ Recadastramento obrigatório no RNTRC começa dia 1º de dezembro

Os políticos entenderam que a construção e o aprimoramento das hidrovias são essenciais para a o escoamento da produção de grãos e minérios no Norte e Centro-oeste. O deputado Josué Bengtson (PTB-PA)  falou a favor do projeto: “É o melhor sistema de transporte, em especial, no rio Tapajós, por onde escoa toda a produção de grãos mato-grossenses que será exportada pelo Pacífico”.

Consulta aos povos indígenas
O relator da proposta, deputado Roberto Balestra (PP-GO), foi favorável ao projeto, no entanto fez modificações no texto original por meio de substitutivo. A ideia, segundo ele, é reforçar que o uso dos recursos hídricos deve ser precedido de licenciamento e consulta aos povos indígenas, quando ocorrer em suas terras.

+ Movimento nos portos cresce mesmo com economia estagnada

Já o deputado Nilto Tatto (PT-SP) foi contrário à proposta que, em sua avaliação, prejudica direito já assegurado aos povos indígenas e tradicionais. Ele informou que na região de Porto Velho, no vale do Ribeira (SP), os estudos de impacto ambiental foram invasivos a ponto de desestabilizar o povoado. “Antes de fazer a intervenção, é preciso esclarecer qual a intenção da obra, e se há consentimento da comunidade”, disse.

Balestra, por sua vez, garantiu que o projeto é sustentável e beneficia a fronteira agrícola no Mato Grosso e no Pará. “Não se fala em derrubada de mata, em mudança de curso de rios, além de aproveitar os cursos de água que lá são próprios para a navegação”, sustentou.

+ BNDES libera mais de meio bilhão de reais para as ferrovias Centro Atlântica e Norte Sul

A proposta abrange os seguintes trechos:

  • na hidrovia do rio Tapajós, da foz no rio Amazonas, no Pará (PA), até à confluência dos rios Juruena e Teles Pires, na divisa dos Estados do Pará (PA), Amazonas (AM) e Mato Grosso (MT);
  • na hidrovia do rio Teles Pires, entre a confluência com o rio Juruena, no Pará (PA), até à foz do rio Verde, no Mato Grosso (MT); e
  • na hidrovia do Rio Juruena, localizada entre a confluência com o rio Teles Pires, no Pará (PA), até o município de Juína, no Mato Grosso (MT).

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

COMMENTS