Porto Chibatão (AM) investe R$ 80 milhões em infraestrutura

Porto Chibatão (AM) investe R$ 80 milhões em infraestrutura

Porto fluvial, às margens do Rio Negro, em Manaus, no Amazonas, anunciou a ampliação da área útil para 1 milhão de metros quadrados até o final do ano. Complexo comemora 25 anos e foi vítima de um desastre em 2010, quando houve um deslizamento de terra

Obras de ampliação do aeroporto de Manaus (AM) incluem vias de acesso
TRA Transporte da Amazônia foca suas operações na região Norte do País
Motorista amazonense é símbolo da igualdade entre homens e mulheres no transporte

O Porto Chibatão, completo rodo-fluvial localizado às margens do Rio Negro, em Manaus, anunciou o investimento de R$ 80 milhões na ampliação da área útil do terminal para 1 milhão de metros quadrados, com previsão de entrega das obras até o final deste ano.

Maior terminal portuário do Amazonas, o Chibatão é responsável pela movimentação de 80% das cargas que chegam à capital amazonense e sofreu, em 2010, um acidente com deslizamento de terra que gerou prejuízos para cerca de 30 transportadoras.

O complexo portuário privado completa 25 anos de fundação e o projeto de expansão elevará sua capacidade operacional estática atual de 38 mil TEUs para 40 mil TEUs até dezembro. Para cumprir o projeto, o Grupo Chibatão iniciou, há cerca de dois anos, as obras de reforço de toda a orla do Terminal Portuário Alfandegado, com cerca de 1,5 km de extensão.

Segundo os administradores do complexo, a tecnologia empregada no reforço, chamada Geo Grounting e Jet Grounting, injetou colunas de cimento puro no solo com 90 centímetros de largura a uma profundidade de 45 metros. Além disso, as obras incluíram a construção de novos pátios na área da antiga Frigomasa.

Além das obras estruturais, o grupo está investindo também na reestruturação das operações de carga e descarga do rodo-fluvial, para agilizar o fluxo dos produtos transportados em carretas por balsas, saindo de Manaus com destino a Porto Velho (RO) e Belém (PA).

“Com o novo projeto, teremos um píer idêntico ao já existente para navios destinado para atracar e operar, ao mesmo tempo, três balsas, ou seja, triplicaremos a produtividade e o cliente terá seu produto mais rápido, com menos custos agregados ao valor final”, avalia o vice-presidente do Grupo Chibatão, Jean Bergson.

Segundo a empresa, o novo sistema de balsas começa a operar já em dezembro deste ano e todas as obras de infraestrutura, ampliação de pátio e de reforço na segurança estão sendo realizadas pelo Grupo Chibatão e licenciadas pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Ministério Público e Prefeitura de Manaus.

Equipamentos de movimentação

No primeiro semestre de 2012, o terminal portuário realizou a aquisição de 350 novos equipamentos para a movimentação de cargas. O destaque fica para os seis novos guindastes empilhadores de contêineres sobre pneus ou tyre gantry cranes (RTG) da marca Liebherr, que irão possibilitar ganho de 40% na área de pátio ocupada e maior agilidade no carregamento do contêiner para os transportadores, reduzindo prazos e assegurando a pontualidade na entrega das cargas.

COMMENTS