Porto Chibatão (AM) investe R$ 80 milhões em infraestrutura

Porto Chibatão (AM) investe R$ 80 milhões em infraestrutura

Porto fluvial, às margens do Rio Negro, em Manaus, no Amazonas, anunciou a ampliação da área útil para 1 milhão de metros quadrados até o final do ano. Complexo comemora 25 anos e foi vítima de um desastre em 2010, quando houve um deslizamento de terra

Justiça Federal proíbe Log-In de construir Terminal Portuário das Lajes (AM)
Lufthansa está otimista com operações em Manaus (AM)
Panalpina inaugura armazém no aeroporto de Manaus (AM)

O Porto Chibatão, completo rodo-fluvial localizado às margens do Rio Negro, em Manaus, anunciou o investimento de R$ 80 milhões na ampliação da área útil do terminal para 1 milhão de metros quadrados, com previsão de entrega das obras até o final deste ano.

Maior terminal portuário do Amazonas, o Chibatão é responsável pela movimentação de 80% das cargas que chegam à capital amazonense e sofreu, em 2010, um acidente com deslizamento de terra que gerou prejuízos para cerca de 30 transportadoras.

O complexo portuário privado completa 25 anos de fundação e o projeto de expansão elevará sua capacidade operacional estática atual de 38 mil TEUs para 40 mil TEUs até dezembro. Para cumprir o projeto, o Grupo Chibatão iniciou, há cerca de dois anos, as obras de reforço de toda a orla do Terminal Portuário Alfandegado, com cerca de 1,5 km de extensão.

Segundo os administradores do complexo, a tecnologia empregada no reforço, chamada Geo Grounting e Jet Grounting, injetou colunas de cimento puro no solo com 90 centímetros de largura a uma profundidade de 45 metros. Além disso, as obras incluíram a construção de novos pátios na área da antiga Frigomasa.

Além das obras estruturais, o grupo está investindo também na reestruturação das operações de carga e descarga do rodo-fluvial, para agilizar o fluxo dos produtos transportados em carretas por balsas, saindo de Manaus com destino a Porto Velho (RO) e Belém (PA).

“Com o novo projeto, teremos um píer idêntico ao já existente para navios destinado para atracar e operar, ao mesmo tempo, três balsas, ou seja, triplicaremos a produtividade e o cliente terá seu produto mais rápido, com menos custos agregados ao valor final”, avalia o vice-presidente do Grupo Chibatão, Jean Bergson.

Segundo a empresa, o novo sistema de balsas começa a operar já em dezembro deste ano e todas as obras de infraestrutura, ampliação de pátio e de reforço na segurança estão sendo realizadas pelo Grupo Chibatão e licenciadas pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Ministério Público e Prefeitura de Manaus.

Equipamentos de movimentação

No primeiro semestre de 2012, o terminal portuário realizou a aquisição de 350 novos equipamentos para a movimentação de cargas. O destaque fica para os seis novos guindastes empilhadores de contêineres sobre pneus ou tyre gantry cranes (RTG) da marca Liebherr, que irão possibilitar ganho de 40% na área de pátio ocupada e maior agilidade no carregamento do contêiner para os transportadores, reduzindo prazos e assegurando a pontualidade na entrega das cargas.

COMMENTS