Infraero pode ficar fora da privatização de aeroportos

Na segunda fase de concessões a participação da estatal será entre 0% e 15%

Azul investe R$ 821 mi na compra de mais dez jatos Embraer
Lufthansa Cargo amplia aproveitamento de espaço em 69% em 2013
Webjet abre mão de cobrar por água durante voo

aeroporto-aereo-manaus

O ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, afirmou que o governo deverá reduzir a participação da Infraero nos quatro aeroportos que serão concedidos dentro do âmbito da segunda fase do Programa de Investimentos em LOGÍSTICA (PIL2) -Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS) – ficando numa faixa entre 0% e 15%. Nos aeroportos concedidos durante a primeira fase do PIL – Brasília, Guarulhos, Viracopos, Galeão e Confins -, a participação da Infraero foi fixada em 49%.

+ Movimento nos portos cresce mesmo com economia estagnada

“Vamos reduzir a participação da Infraero para entre 15% e 0%. Minha posição pessoal é 0%. Mas é um colegiado que vai decidir, e, por último, a presidente vai arbitrar, se for o caso”, disse Padilha, durante evento sobre infraestrutura de transporte realizado em São Paulo.

+ Ministério Público diz que Lei dos Motoristas triplicou o uso de drogas entre caminhoneiros

Segundo o ministro, o governo tem manifestado a vontade de manter a participação da Infraero nos aeroportos em 15%, uma vez que essa fatia garantiria um assento de forma representativa no conselho desses aeroportos. “É uma discussão interna no governo, tem prós e contras de se ter uma participação maior.”

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

 

COMMENTS