Infraero pode ficar fora da privatização de aeroportos

Na segunda fase de concessões a participação da estatal será entre 0% e 15%

Aeroporto de Vitória (ES) recebe Certificação Operacional de Aeroporto da Anac
Anac quer por fim na reserva de assentos preferenciais na 1ª fileira de aeronaves
Novo sistema de controle aéreo entra em operação em Brasília (DF)

aeroporto-aereo-manaus

O ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, afirmou que o governo deverá reduzir a participação da Infraero nos quatro aeroportos que serão concedidos dentro do âmbito da segunda fase do Programa de Investimentos em LOGÍSTICA (PIL2) -Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS) – ficando numa faixa entre 0% e 15%. Nos aeroportos concedidos durante a primeira fase do PIL – Brasília, Guarulhos, Viracopos, Galeão e Confins -, a participação da Infraero foi fixada em 49%.

+ Movimento nos portos cresce mesmo com economia estagnada

“Vamos reduzir a participação da Infraero para entre 15% e 0%. Minha posição pessoal é 0%. Mas é um colegiado que vai decidir, e, por último, a presidente vai arbitrar, se for o caso”, disse Padilha, durante evento sobre infraestrutura de transporte realizado em São Paulo.

+ Ministério Público diz que Lei dos Motoristas triplicou o uso de drogas entre caminhoneiros

Segundo o ministro, o governo tem manifestado a vontade de manter a participação da Infraero nos aeroportos em 15%, uma vez que essa fatia garantiria um assento de forma representativa no conselho desses aeroportos. “É uma discussão interna no governo, tem prós e contras de se ter uma participação maior.”

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

 

COMMENTS