Demanda doméstica do transporte aéreo completa 10 meses consecutivos de crescimento

Demanda doméstica do transporte aéreo completa 10 meses consecutivos de crescimento

Ano já acumula alta de 5,6%; número de passageiros pagos subiu 2,2% no mês de julho

Embraer encerra 3º trimestre com 51 aeronaves entregues
Aurigny Air Services adquire jato Embraer 195
TAP Brasil recebe Medalha de Mérito Turístico

jk-aeroporto-brasilia

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) divulgou nesta segunda-feira (1/9) que a demanda em passageiros-quilômetros pagos transportados (RPK) do transporte aéreo doméstico cresceu 0,6% em julho de 2014, comparada com o mesmo mês do ano passado. Já a oferta de assentos-quilômetros oferecidos (ASK) registrou queda de 2,9% no mesmo período.

Apesar de modesto, com o resultado de julho, a demanda doméstica completou 10 meses consecutivos de crescimento, acumulando alta de 5,6% no ano. Por outro lado, a oferta acumulou queda de 0,3% no mesmo período.

Entre as principais empresas aéreas brasileiras, Azul e Avianca destacaram-se na demanda doméstica em julho de 2014, crescendo 26,1% e 23,8%, respectivamente, quando comparadas com o mesmo mês de 2013. A GOL registrou aumento de 8,1% na demanda doméstica de julho. Na contra mão das demais, a TAM registrou retração em julho de 2014, foram 7,6% no período.

O número de passageiros pagos transportados no mercado doméstico em julho de 2014 atingiu 8,3 milhões, tendo sido o maior para o mês nos últimos 10 anos, com alta de 2,2% em relação a julho de 2013. No acumulado do ano, a quantidade de passageiros transportados cresceu 6,9%. A GOL foi a empresa que mais transportou passageiros no mercado doméstico em julho de 2014, com 3,11 milhões, seguida pela TAM, com 2,78 milhões, e pela Azul, com 1,72 milhões.

A taxa de aproveitamento das aeronaves em voos domésticos operados por empresas brasileiras registrou 81,6%. No período de janeiro a julho de 2014, o aproveitamento doméstico foi de 79,5%, frente a 75,1% do mesmo período de 2013, o que representou acréscimo de 5,9%.

COMMENTS