Redução de peso limite de e-Sedex preocupa setor de e-commerce

Redução de peso limite de e-Sedex preocupa setor de e-commerce

Com nova regra, peso limite de encomenda cai de 30 kg para 15 kg; em alguns locais do País, tarifa do frete aumenta quase 100%

Gol recebe aprovação da ANAC para compra da Webjet
Quimitrans compra 25 caminhões Volvo
Renault entrega 1.271 veículos Kangoo para os Correios

correios

Estão em vigor desde o dia 1º deste mês de junho as novas regras dos Correios para envio de remessa expressa, o que reduz o limite de peso do Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje para 10 kg e do e-Sedex, para 15 kg.

Com a nova regra, os preços dos fretes devem sofrer aumentos com as novas medidas anunciadas, o que trará impacto principalmente ao setor de e-commerce (comércio eletrônico).

“O grande impacto está no e-Sedex, serviço de encomenda expressa para produtos adquiridos pela internet, pois reduz a quantidade de itens que podem ser comprados com um único frete. Até então, este limite era de 30 kg, o dobro do permitido a partir de agora. Para quem precisa enviar produtos com mais de 15 kg, uma das alternativas é utilizar o Sedex ou o Pac, que continuam com as mesmas medidas, mas que podem dobrar o cus to da entrega”, comenta Adriano Caetano, diretor da plataforma de comércios virtuais Loja Integrada.

Segundo o executivo, em simulação para envios em São Paulo, o aumento da tarifa pode ser de até 47%, número que dobra para entregas em outros locais do Brasil. Em Recife, por exemplo, uma encomenda chega a custar 96% a mais. Já quem opta pelo formato Pac, o acréscimo no preço chega a 17% em São Paulo. Porém, o problema fica sendo o prazo, que é muito maior do que o Sedex. “Com a agilidade cada vez mais exigida nas entregas online, pode ser uma grande desvantagem”, ressalta Caetano.

“Após estas mudanças nos pesos das encomendas, os lojistas precisam acompanhar de perto os valores cobrados pelo envio das mercadorias e analisar as melhores opções caso a caso. Também é necessário saber a hora de repassar o preço ao consumidor e quando é preciso absorver os custos. Sendo a entrega um dos itens mais importantes do comércio eletrônico, é importante estar atento a todos os detalhes”, conclui.

Balanço do e-commerce

Apesar da preocupação em relação ao custo do frete praticado, neste mês de Dia dos Namorados, o setor deve fatura cerca de R$ 1 bilhão, segundo pesquisa realizada pela e-bit. Este número representa um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, em que o comércio virtual totalizou R$784 milhões em vendas. O Dia dos Namorados é visto como a terceira data mais lucrativa do ano.

No mês de maio, os preços dos produtos vendidos no comércio eletrônico caíram 0,28% em maio, na comparação com abril, de acordo com o índice da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas do site Buscapé. A queda confirma a tendência deflacionária observada ao longo de 28 meses em que o índice foi calculado, interrompida apenas nos meses de janeiro de 2012 (0,90%) e janeiro de 2013 (2,39%).

COMMENTS