Sete concessionárias obtêm liminar para continuar operando pedágios no Rio Grande do Sul

Com a determinação do STJ, governo terá que adiar a reestatização de 1,8 mil quilômetros de rodovias que foram cedidos à iniciativa privada em 1998

Iveco amplia rede de concessionárias com unidade em Marialva (PR)
Rodovias paulistas sob concessão recolhem 67 toneladas de lixo por dia
Volvo inaugura duas concessionárias no Sul do País

pedagio-preco

A 6ª Vara Federal de Porto Alegre (RS) concedeu liminar para a concessionária Santa Cruz Rodovias continuar atuando nas praças de pedágio no Estado até o dia 28/12. Com a determinação, o governo terá que adiar a ree statização de 1,8 mil quilômetros de rodovias que foram cedidas à iniciativa privada em 1998. Em dezembro de 2012, a Agergs (Agência Estadual de Regulação dos Serviços Delegados) havia definido o término dos convênios para o primeiro semestre de 2013. Esta é a sétima liminar obtida pelas empresas privadas que operam as estradas gaúchas.

De acordo com o governo do Rio Grande do Sul, os contratos, firmados há 15 anos, terminam no primeiro semestre, baseando-se na data de assinatura dos convênios e não na do começo das cobranças. Com isso, todos os pedágios do Rio Grande do Sul deverão ser assumidos pela EGR (Empresa Gaúcha de Rodovias). A companhia foi criada no ano passado para gerir 14 praças, incluindo os sete polos cedidos à iniciativa p rivada. Segundo o governo, o valor do pedágio pode cair 26% com a entrada da EGR. Por conta do embaraço contratual, todas as concessionárias que integram o PECR (Programa Estadual de Concessões Rodoviárias) entraram com ações na Justiça e conseguiram adiar a entrega das rodovias para dezembro.

Antes da Santa Cruz Rodovias, foram beneficiadas Brita, que assumiu o polo de Gramado; Metrovias, que responde pelo polo Metropolitano; Sulvias, responsável pelo de Lajeado; Rodosul, que detém a concessão do pedágio de Vacaria; Convias, em Caxias do Sul, e Coviplan, no polo de Carazinho.

COMMENTS