Amapá cria rota marítima com 150 países

CMA CGM e Companhia Norte de Navegação e Portos (Cianport) farão importação e exportação por meio do Porto de Santana

Navios de cabotagem esperam mais de 4 dias por práticos em Manaus (AM)
Aeroporto de Macapá (AP) recebe ampliação no terminal de passageiros
TRA Transporte da Amazônia foca suas operações na região Norte do País

O Estado do Amapá criou nesta quinta-feira uma nova rota de transporte marítimo entre o porto de Santana e cerca de 150 países. Segundo o Governo do Estado, a nova rota será operada pelas empresas CMA CGM e Companhia Norte de Navegação e Portos (Cianport).

A nova rota será utilizada para o comércio exterior entre o Brasil e a Europa, os Estados Unidos, o Caribe e a Ásia para o escoamento de produtos como caulim, celulose, madeira e ferro e evitará a passagem pelo Pará, retendo recursos e empregos no Amapá.

“A Abertura de uma rota internacional possibilita o avanço do comércio de cargas no Amapá, pois os serviços que eram gerados no Pará passam a ser feitos aqui, o que exige mais mão de obra, gera emprego e renda, baixa os custos, promove a competitividade e barateia os produtos que entram e saem no Estado”, comenta o governador do Amapá, Camilo Capiberibe.

O gerente da Regional Norte CMA CGM, Alessandro Fernandes, ressaltou o potencial do Porto de Santana e os benefícios da nova linha de navegação. “Anteriormente, a importação de contêineres que vinha para o Amapá não era descarregada no Poro de Santana e sim no Porto de Belém (PA), o que elevava custos para os importadores e exportadores. Portanto, essa nova linha é muito boa para os empresários e para o Estado”, disse Fernandes.

COMMENTS