Motoristas de Rondonópolis (MT) são os primeiros a utilizar simulador de caminhão no País

Primeiro software desenvolvido e fabricado no Brasil proporciona aulas mais seguras e simula diversas condições de trânsito

Scania vai lançar leasing operacional para compensar fim do PSI
Golden Cargo renova frota com 34 caminhões Volvo
Produção de caminhões cresce 13,8% em 2011

Com a intenção de formar condutores sem o risco de ocorrer acidentes durantes as aulas e fomentar a capacitação de novos motoristas de caminhão, a ATC (Associação de Transportes de Cargas do Mato Grosso) apresentou ao diretor da 2ª Ciretran de Rondonópolis (MT), Carlos Antônio Nazário, o simulador de direção de caminhão e ônibus, o primeiro totalmente desenvolvido e fabricado no Brasil. O software é capaz de simular algumas condições adversas como tráfego em estrada sem asfalto, neblina e tempo chuvoso.

Nos últimos dias, a ATC promoveu um curso de formação de condutores com sete dias de duração e carga diária de oito horas, em parceria como SEST/SENAT. Após as aulas teóricas, os alunos tiveram a oportunidade de conduzir o simulador de direção e depois praticaram em um caminhão de verdade. “No começo eu fiquei desfocada, mas acabei melhorando”, diz Marcia Silva Santos, aluna que experimentou praticar no simulador.

“As aulas duram entre 20 e 50 minutos. Neste tempo, os condutores são expostos a diversas situações, durante uma viagem de verdade, como troca de marchas, freios, consumo de combustível, quilometragem e outros. No final é emitido um relatório completo que serve como avaliação”, explica o instrutor do simulador de direção João Carlos Raimundo Alves.

“A gente não pode colocar simplesmente o condutor em uma via, colocando em risco a sua vida e a dos demais usuários”, comenta Miguel Mendes, diretor executivo da ATC, “A ideia é instalar esse simulador no SEST/SENAT, onde, além das aulas teóricas, o aluno executaria as aulas de simulação em torno de 10 a 20 horas de carga, para depois ele vir à ATC executar o estágio final, que seria a direção em uma rodovia por fim”, completa o diretor.

As transportadoras de Rondonópolis carecem de profissionais qualificados. Estima-se que existam, aproximadamente, 200 vagas em aberto para contratação em empresas na cidade. A região é um dos polos da soja no Brasil.

Por: Victor José – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS