Allison Transmission conquista uma grande parcela no mercado global de ônibus

Aproximadamente 14 mil transmissões automáticas para ônibus e mais de 1,3 mil unidades híbridas foram vendidas no decorrer do ano passado. A empresa marca presença em novos mercados e amplia participação nos que já usam seus eficientes sistemas voltados para o trânsito urbano

Produção de caminhões continua com o freio puxado e recua 32,8% até maio
Toyota anuncia aumento de 30% nos lucros
Setor de autopeças indica sinais de retomada do crescimento

A Allison Transmission, principal fabricante mundial de transmissões totalmente automáticas e de sistemas híbridos de propulsão, continua a se expandir e estabilizar sua posição como líder global em se tratando do mercado urbano de ônibus. Apesar do declínio de aproximadamente 17% na produção global de ônibus a empresa expandiu seus horizontes tanto em número de vendas quanto em novos mercados.  O interesse despertado pelos sistemas híbridos ― GM-Allison Two Mode Parallel Hybrid System (Sistema Híbrido de Dois Modos Paralelos GM-Allison) ― também tem sido crescente, ultrapassando a marca de 1,3 mil unidades vendidas em 2009.

América do Sul amplia seu interesse

Em 2009 a transmissão Torqmatic T270 foi homologada para ser usada nos ônibus Mercedes-Benz OH1618LE, onde a combinação de motor traseiro, suspensão a ar, piso rebaixado e transmissão automática tem se mostrado uma excelente proposta para as principais cidades da América do Sul. É um projeto que une o motor mais popular da Mercedes-Benz, o OM904 com a transmissão automática mais vendida no mundo.

Na Argentina as transmissões Allison equipam dezessete modelos diferentes de várias marcas e configurações, entre as quais Mercedes-Benz, Agrale e Materfer. Na maioria são ônibus urbanos, e mais de 10 mil unidades atendem a população portenha. Buenos Aires é apontada como uma das mais bem servidas metrópoles latino-americanas no quesito transporte público. Uma lei municipal obriga os ônibus que circulam pela capital a terem motor traseiro, suspensão pneumática e, desde 1994, o piso baixo para facilitar o acesso de deficientes físicos e idosos. 98% da frota que transita na capital argentina possui transmissão automática Allison. Modelos como o Mercedes OH1115, OH1315 e OHL1622, Agrale MT12.0 e MT15.0 são a perfeita representação deste sucesso em frotas como DOTA, que atende a população de Buenos Aires.

Outro grande mercado de transmissões automáticas da marca, para o transporte urbano da região, localiza-se na Venezuela, onde rodam cerca de quinze mil unidades, a maioria delas em circulação em Caracas. Chile com 2,5 mil ônibus; Montevidéu, no Uruguai, com mais 800 e recentemente Lima, no Peru, com mais de 500 unidades equipadas com modelos T375R (articulados) e T280R, são outras cidades com volumes significativos. Na Colômbia o processo está também em pleno desenvolvimento, com aproximadamente 70 unidades à disposição do usuário.

“A América Latina é um mercado em ascensão para as transmissões automáticas, que gradualmente vão substituindo as manuais”, afirma Evaldo Oliveira, Diretor Regional para América do Sul da Allison. “Muitas cidades estão desenvolvendo a sua estrutura de transporte ― o Brasil, por exemplo, se prepara para grandes eventos globais, como a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016 ― e a Allison está perfeitamente posicionada para ajudar a implantar um sistema de transporte de classe mundial”.

Confiabilidade na marca e baixo custo de manutenção são fatores importantes para os operadores das companhias de ônibus, independente da localidade. No corredor conhecido como Transantiago, no Chile, essas particularidades são indispensáveis. São mais de mil micro-ônibus equipados com transmissões Allison S2100 na capital chilena, Santiago, entre modelos Mercedes-Benz e Agrale.

Números superlativos

Na China os fabricantes locais de ônibus optaram definitivamente pelas transmissões automáticas para seus veículos. Não só os que circulam em Pequim, Xangai ou demais cidades do País, mas também para o lucrativo mercado de exportação. Ásia, Europa Central, O Médio Oriente, América do Sul, EUA, Austrália e Nova Zelândia, são alguns deles.

O sucesso da Allison na China vem desde seu envolvimento com os Jogos Olímpicos de Pequim de 2008, quando forneceu aproximadamente 12 mil transmissões automáticas para os ônibus de transporte público.

Bem aceita principalmente em função da qualidade, confiabilidade e durabilidade, no ano passado, as transmissões automáticas Allison mais que dobraram sua participação em veículos coreanos. Seul, no momento, é uma cidade onde só circulam ônibus de piso baixo e transmissões automáticas.

Os grandes avanços em infra-estrutura de transportes ocorridos na Índia nos últimos três anos têm sido acompanhados por uma evolução semelhante no que diz respeito à tecnologia aplicada nos veículos. E essa expansão resultou em uma presença maciça das transmissões Allison no País. Elas estão sendo instaladas nos novos modelos de piso baixo movidos a gás que estão sendo fornecidas para Nova Déli e outras quinze cidades da Índia.

Na Europa a Allison vivenciou um grande crescimento da sua participação nos ônibus produzidos na Europa Central e Turquia, a maior parte deles destinados à Europa Ocidental. Na França a escolha recai sobre os modelos da série Torqmatic, cuja eficiência é transmitida sob a forma de conforto para os passageiros de Paris, Marselha, Nice Ajaccio, Avignon e Bordeaux. As vendas do modelo T280R, somente para os modelos franceses Heuliez, atingiram a marca das 1,3 mil unidades em 2009.

Na América do Norte, a Allison é o principal fornecedor de transmissões automáticas e sistemas híbridos para o mercado de ônibus. Os ônibus interestaduais da Greyhound, por exemplo, podem ser usados como comprovação da confiança e durabilidade das transmissões Allison. Uma transmissão da série B500 já rodou mais 1,8 milhão de quilômetros sem a ocorrência de problemas. Depois de desmontada e analisada foi constatado que seus componentes ainda estavam em bom estado de conservação.

COMMENTS