BNDES, Desenvolve SP, FINEP e Embraer inauguram fundo de investimento inédito para o setor aeroespacial

BNDES, Desenvolve SP, FINEP e Embraer inauguram fundo de investimento inédito para o setor aeroespacial

Projeto visa fortalecer cadeia produtiva e promover a integração de sistemas por meio de apoio às pequenas e médias empresas

Embraer atinge marca de 1100 jatos executivos entregues
United Airlines estuda substituir Boeing 757 por Airbus A321LR para pequenas rotas
Embraer encerra 2013 com entrega de 90 jatos comerciais e 119 executivos

embraer-aeronave-combustive

Foi lançado nesta quarta-feira (7/5), na sede do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no Rio de Janeiro, o FIP (Fundo de Investimento em Participações) Aeroespacial, primeiro na América Latina voltado para o segmento.

O projeto é resultado de uma iniciativa do BNDES com a FINEP, a Desenvolve SP (Agência de Desenvolvimento Paulista) e a fabricante de aviões Embraer.

A ideia é fortalecer a cadeia produtiva aeroespacial, aeronáutica, de defesa e segurança e promover a integração de sistemas relacionados a esses setores por meio de apoio às pequenas e médias empresas.

O patrimônio inicial do fundo será de R$ 131,3 milhões, e será distribuído da seguinte maneira: BNDESPAR, Embraer e FINEP, cada um com R$ 40 milhões; Desenvolve SP, com R$ 10 milhões e R$ 1,3 milhão aportados pela Portbank, gestora oficial do fundo que foi selecionada a partir de um edital de chamada pública conjunta realizada em setembro do ano passado.

O FIP cria um canal permanente que permite o contato mais próximo entre a empresa estratégica do setor – neste caso a Embraer – e as iniciativas empreendedoras mais inovadoras destes setores e promove o investimento em setores estratégicos para o Brasil.

“É com muita satisfação que vemos esta iniciativa tornar-se realidade. O apoio à micro e pequenas empresas de base tecnológica, com o suporte de grandes companhias de setores correlatos, tem grande sintonia com o papel do BNDES. Esperamos e estamos trabalhando para que outras empresas sigam o caminho trilhado pela Embraer”, disse o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

O fundo de capital empreendedor será destinado a empresas inovadoras de pequeno e médio porte (com faturamento bruto de até R$ 200 milhões/ano) em todo o território nacional.

COMMENTS