NTC&Logística apresenta dados da variação média do INCT dos últimos 12 meses

Entre agosto de 2012 e julho de 2013, INCTF alterou 7,54%, enquanto o INCTL apresentou diferença de 6,81%

Fernão Dias e Régis Bittencourt sofrerão reajuste nos pedágios
Transportador brasileiro recorre cada vez mais à reforma de pneus
Pedágio fica mais caro a partir de hoje nas rodovias paulistas

roubo-cargas-pf
Segundo o Departamento de Custos Operacionais e Estudos Técnicos e Econômicos da NTC&Logística (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística), a variação média dos últimos 12 meses (agosto de 2012 a julho de 2013) do INCTF (Índice Nacional da Variação de Custos do Transporte Rodoviário de Cargas Fracionadas) foi de 7,54%, e o INCTL (Índice Nacional da Variação de Custos do Transporte Rodoviário de Cargas Lotação) apresentou alteração de 6,81%. Somente nos últimos seis meses, o INCTF e o INCTL variaram 5,6% e 4,4% respectivamente.

Os índices aferem a evolução de todos os gastos do transporte de carga, incluindo transferência, coleta e distribuição (nas operações de cargas fracionadas), custos administrativos e também de terminais.

No período demarcado na análise, o que contribuiu em grande parte para este resultado foi o aumento do preço do diesel na bomba, o que apresentou uma variação de 10,88%: de R$ 2,104 para R$ 2,333 por litro.

Além disso, desde março do ano passado, dois novos elementos de custos passaram a fazer parte do cálculo: o diesel S-10, que variou 0,25% no mês; e, o Arla 32, aditivo utilizado para reduzir as emissões de poluentes, que mostrou diferença de 5,12% nos últimos 12 meses.

Outro custo que obteve destaque foi a mão de obra, cujo dissídio em 2013 foi, em geral, superior à inflação do período. Em São Paulo, o índice de reajuste foi de 10,0%.

Os demais insumos tiveram variação aproximada, nos 12 meses de:

• Veículo – 0,55%;
• Pneu 1000/20R – 3,78%;
• Reforma de pneus – 8,13%;
• Óleo lubrificante – 3,04%;
• Lavagem – 1,23%;
• Implementos (Baú duralumínio) – 2,51%;
• Seguro – 4,61%;
• Salário DAT – 9,13%;
• Despesas administrativas e de terminais (exceto salários) – 5,63%.

COMMENTS