Marcopolo cresce 8,8% no 1º semestre de 2011

Saldo positivo resultou em uma receita líquida de R$ 1,531 bilhão e produção mundial de 14.253 unidades

Geração 8 de ônibus Marcopolo deve chegar ao mercado em agosto
Marcopolo inicia fabricação do novo ônibus Torino Articulado
Marcopolo fornece 10 ônibus para transporte urbano da Guatemala

O crescimento da Marcopolo no primeiro semestre deste ano foi de 8,8% em relação ao mesmo período de 2010, o que resultou em uma receita líquida de R$ 1,531 bilhão e produção mundial de 14.253 unidades. Com o resultado positivo, a empresa elevou a expectativa de receita líquida de R$ 3,15 bilhões para R$ 3,25 bilhões e produção global de 29.300 para 30.200 unidades.

“A perspectiva da empresa para aumento da demanda dos clientes do mercado brasileiro se confirmou e foi o principal fator para o crescimento dos negócios”, diz José Rubens de la Rosa, diretor-geral da Marcopolo. “Desde 2009, os operadores de transporte vem investindo na renovação e ampliação de suas frotas. Isto tem se convertido em um aumento dos pedidos, inclusive de modelos mais sofisticados, como os rodoviários. Nossa expectativa é que, no segundo semestre, as vendas se intensifiquem ainda mais”, comenta.

No exterior foi registrada a expansão de 9,4%, com a produção de 4.940 ônibus contra 4.498 no ano passado. Argentina, Colômbia e México obtiveram crescimento e fecharam o período de janeiro a junho com acréscimo em relação ao semestre de 2010. Na Argentina o aumento foi de 99,3%, na Colômbia, 46,5% e no México, 44,8%.

“Na Índia, a produção ficou praticamente igual à do primeiro semestre de 2010, com aumento de 0,7%. Montamos 2.953 veículos contra 2.932 no primeiro semestre do ano passado. Na África do Sul e no Egito é que tivemos retração. Na África, de 55,1%, com a produção de 129 ônibus, e no Egito, de 41,3%, com 111 unidades montadas”, explicou de la Rosa.

COMMENTS