Scania traz as vantagens do trem de força Super para as operações off-road

Scania traz as vantagens do trem de força Super para as operações off-road

ZF tem novo comandante na América do Sul
Scania V8 especial 50 anos é sonho de caminhoneiro
Mercedes-Benz celebra liderança e reforça confiança no Brasil

Depois de um ano e um mês do lançamento da gama Super no Brasil, inicialmente para os caminhões rodoviários, a Scania leva toda a nova tecnologia também para as operações fora de estrada, incluindo canavieiras, florestais, de construção e mineração. Mas, antes de falarmos sobre a chegada desta plataforma ao segmento XT da Scania, vale a pena lembrar alguns destaques da gama Super e o que ela trouxe de novidades para os caminhões brasileiros.

Lançada na Europa em 2021 e apresentada no Brasil na Fenatran do ano seguinte, a plataforma Super representa uma grande revolução em motores a diesel e caminhões extrapesados. Com potências de 420 a 560 cavalos, os motores de 13 litros da gama Super, nascidos para a era Euro 6, contam com nova arquitetura de cabeçote, extremamente reforçado, para aguentar a altíssima pressão de injeção do diesel de até 2.200 bar. E isso é pura ciência. Quanto maior a pressão na injeção do combustível, menores serão as gotículas de diesel e, consequentemente, maior será a superfície de contato do líquido. Com isso, a mistura com o ar é mais rica e a possibilidade de queima fica infinitamente maior, proporcionando uma combustão mais eficiente, o que resulta em menor consumo e maior torque a baixas rotações.

Além disso, o Super traz algumas inovações, como o FOU, que é um sistema de captação de diesel no tanque que aproveita quase que a totalidade do volume, utilizando bombas e filtros especiais, e a alta taxa de compressão do motor, que chega a 23:1.

Casado com o motor novo, a caixa de transmissão Opticruise da Scania, nos modelos G25 e G33 também trouxeram novidades, com trocas mais rápidas e um sistema de lubrificação por spray que diminui a necessidade de paradas para manutenção, aumentando a disponibilidade do caminhão.

Depois deste preâmbulo, já sabemos algumas características das novas plataformas que chegam aos caminhões XT da Scania. É hora de verificar o mercado de caminhões off-road no Brasil e a participação da marca neste segmento.

“Estimamos que a Scania vá fechar o ano de 2023 com uma participação de 33% no mercado de caminhões fora de estrada brasileiro, com pouco mais de 1.000 unidades vendidas. É uma market-share importante e somos líderes em alguns segmentos, mas queremos crescer neste bolo. Esperamos que, com a chegada do super e a conjuntura de safra, investimentos em celulose, na construção e na mineração, o Brasil terá uma demanda aquecida por caminhões off-road e é aí que o Super vai entrar, oferecendo maior rentabilidade e menor tempo de paradas para os operadores”, explica Alex Nucci, diretor de Vendas de Soluções de Transporte da Scania no Brasil.

Caminhão preparado para o extremo

E a chegada do Super à linha XT traz algumas novidades importantes. Além do motor, preparado para altos torques a baixo giro, o trem de força ganhou uma nova caixa de transmissão que, aliada ao eixo traseiro superdimensionado com redução nos cubos, pode chegar a uma Capacidade Máxima de Tração (CMT) de até 210 toneladas.

A nova caixa Scania Opticruise automatizada G33 tem uma nova versão, batizada de Heavy Planetary, que conta com engrenagens planetárias 12 milímetros mais espessas para aguentar o tranco e um escalonamento de marchas de 14 velocidades, com uma crawler e uma overdrive. A marcha crawler desta transmissão tem uma relação de 20,81:1 com altíssima redução e a overdrive roda livre, com relação de 0,78 para 1.

Tudo isso ajuda os caminhões fora de estrada da Scania a trabalhar com baixo giro e alto torque nos momentos de arrancada com muito peso e em terrenos irregulares, e a rodar com baixo consumo nos momentos rodoviários da operação, principalmente no trabalho florestal e canavieiro.

Esta nova caixa de transmissão é assíncrona automatizada e faz as trocas eletronicamente em um intervalo de 150 milissegundos. Outra vantagem da caixa nova é a redução em 50% dos intervalos de manutenção. Isso significa que o caminhão não pára mais depois de 500 horas de trabalho, e sim em um intervalo de 750 horas. Parte deste resultado se dá pelo fato de a caixa ter lubrificação por spray, o que diminui a quantidade de óleo na caixa e aumenta a superfície lubrificada. E a transmissão do Super XT também tem a característica de ser 80 quilos mais leve, pois tem a carcaça feita de alumínio.

Para dar conta do trabalho em condições extremas, os caminhões Scania XT Super são todos equipados com o freio CRB, de compressão, característica da gama Super, mais o assistente de frenagem da caixa Retarder. Isso dá aos caminhões uma potência de frenagem combinada total de 1.153 cavalos ao alcance da mão do motorista, logo na coluna do volante.

“Um ano e um mês depois da chegada da gama Super ao Brasil, temos esta opção para os caminhões fora de estrada da Scania. Com isso, o portfólio de soluções está completo e sabemos que é muito importante trazer esta tecnologia para as operações canavieiras, florestais, de mineração e de construção, pois o Super oferece alta performance com eficiência energética. É mais tonelada transportada com menos uso de combustível e menos tempo de parada para manutenção. As operações fora de estrada são extremamente severas e dependem de um equilíbrio grande entre custo e trabalho realizado e acreditamos que o Super vem para oferecer o melhor da disponibilidade e da performance para os clientes off-road do Brasil”, diz Fabrício Vieira, gerente de Vendas de Soluções Off-Road da Scania Brasil.

Manutenção conectada e inteligente

E a chegada da gama Super à linha XT fora de estrada da Scania também trouxe o novo estilo da marca em pós-venda e manutenção, o Scania Pro, que utiliza as tecnologias conectadas para oferecer alto nível de monitoramento e conectividade para os veículos. Com o módulo de comunicação que é instalado de fábrica no caminhão e a conexão com a internet, a Scania é capaz de monitorar centenas de parâmetros do motor, da caixa e de diversos outros componentes para dar diagnósticos remotos, assistência aos motoristas com classificação e notas para cada comportamento e agendamento rápido e eficiência de paradas nas oficinas da rede.

Os relatórios Scania FIT são capazes de avaliar o trabalho do motorista e apontar em quais quesitos ele precisa melhorar, fomentando o treinamento e a economia de diesel. Além disso, o sistema tem a possibilidade de gerar cercas eletrônicas para limitar a velocidade do caminhão em determinadas regiões, de acordo com a necessidade da operação.

A chegada da gama Super aos caminhões fora de estrada da Scania foi um dos fatos de destaque para o mercado brasileiro em 2023 e o lançamento foi global, em sintonia com todos os outros mercados do Mundo Scania, demonstrando a importância do Brasil para este universo.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS