Renault apresenta nova geração do Kangoo elétrico ao mercado brasileiro

Renault apresenta nova geração do Kangoo elétrico ao mercado brasileiro

Veículo tem motor com 120 cavalos de potência e autonomia de 210 quilômetros com capacidade de carga de 800 quilos

Plantão Covid-19 – episódio 12 – Apoio aos caminhoneiros: aplicativo S.O.S. Truck
DAF amplia sua rede de revendas
Transportadora paranaense compra 12 caminhões Iveco Hi-Way

O mercado de veículos leves de carga está aquecido no Brasil e a logística porta a porta tem crescido fortemente, gerando uma demanda por novos veículos e novas empresas. Quando se adiciona a esta equação a necessidade por veículos elétricos e a busca das empresas por ações de sustentabilidade, a coisa pega fogo.

Dentro deste cenário, a Renault apresenta ao Brasil sua nova geração de veículos leves de transporte de carga urbana, o Kangoo E-Tech elétrico movido a baterias que promete muito e entrega muito. O mini furgão chega com novo visual e com arquitetura renovada, em um trem de força moderno que é capaz de transportar 800 quilos de carga líquida por 210 quilômetros de autonomia com seu motor elétrico com potência equivalente a 120 cavalos.

Segundo a Renault, o motor elétrico e os carregadores do novo Kangoo E-Tech são todos fabricados na fábrica da Renault em Cléon, na Normandia (noroeste de Paris). A fábrica de Maubeuge emprega 2.500 funcionários. O veículo chega ao Brasil adaptado às necessidades nacionais, com dimensões ajustadas para a realidade das ruas brasileiras e características que privilegiam o dia a dia das coletas e entregas urbanas e o conforto do motorista e do ocupante.

Renault eletrizada

E a Renault apresenta um currículo recheado de conquistas e uma experiência vasta em veículos elétricos. Em 10 anos, a marca já produziu e comercializou mais de 450 mil veículos movidos a bateria em todo o mundo. Desses, 100 mil são do Kangoo, que já soma, desde 1997, mais de 4,4 milhões de unidades fabricadas, entre os que têm motor a combustão e elétrico.

Dentro deste universo, a Renault já reciclou mais de 3,3 mil baterias na Europa e ostenta uma experiência de uma década em uma tecnologia que, apesar de não ser nova, se apresenta como uma tendência que cresce mundo afora. Os veículos elétricos vieram para ficar.

Aqui no Brasil, a marca trabalha com os carros elétricos desde 2013 com mais de 600 unidades da primeira geração do Kangoo a bateria, despontando como uma das pioneiras da eletrificação no setor de transportes de última milha nacional.

Para o presidente da Renault do Brasil, o Kangoo é um veículo emblemático para a marca em todo o mundo. “No nosso país, a versão elétrica do Kangoo é reconhecida por grandes empresas que buscam atingir seus objetivos de descarbonização por sua praticidade, baixo custo de operação e por todo o suporte que a marca oferece, por meio de sua rede Pro+. Essa nova geração do modelo chega ao mercado para consolidar essa trajetória de sucesso”, diz o executivo.

Detalhes eletrizantes

A nova geração do Kangoo E-Tech movido a baterias é equipada com um motor de 90 kW de potência, equivalente a 120 cavalos, e com um torque de gente grande: 245 Nm, que é entregue instantaneamente, como em qualquer veículo elétrico. A bateria é de íons de lítio com capacidade de 45 quilowatts-hora. Ela é composta por oito módulos e 96 células e pesa 250 quilos. Ela é refrigerada a água e pode ser facilmente reparada, segundo a fabricante e tem garantia de fábrica de 8 anos ou 160 mil quilômetros.

A autonomia oficial do Kangoo E-Tech, segundo o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) é de 210 quilômetros e, de acordo com os parâmetros do Inmetro, pode chegar a 329 quilômetros no ciclo urbano. Mais do que suficiente para um dia inteiro de trabalho para qualquer veículo que realiza coletas e entregas urbanas.

O veículo tem dois modos de direção, que podem ser combinados com três estágios da regeneração da bateria, totalizando em seis estilos diferentes de condução. Os modos são o Eco, que limita a potência, a velocidade máxima e o consumo da bateria, e o Normal, que entrega toda a força para o motorista. Os modos de regeneração são o B1, com regeneração limitada, em que o Kangoo roda mais livre; o B2 com regeneração padrão; e o B3, que traz a regeneração máxima: quando o motorista pára de acelerar, o veículo segura bastante e pode partir para uma condução de um só pedal, inclusive acionando a luz do freio a baixas velocidades, ideal para congestionamentos e trechos de serra. Testamos o veículo nas ruas de São Paulo e constatamos os três modos de regeneração e o conforto do Kangoo, mas isso é tema para uma outra reportagem, em breve.

O compartimento de carga é bem amplo, com 4,3 metros cúbicos de volume e capacidade de carga líquida de 800 quilos. O revestimento é em PVC e existem oito pontos de ancoragem para amarração das cargas. As portas de acesso são amplas e de fácil operação. A lateral tem uma porta deslizante e as traseiras contam com abertura de 90º e 180º. O Kangoo conta com portas sem fechaduras que são acionadas eletricamente para prevenir arrombamentos e proporcionar mais segurança.

Luxo de série

O Kangoo E-Tech nova geração tem freios hidráulicos tradicionais assistidos por um sistema de regeneração adaptativa de freios (ARB). além disso, o veículo é equipado com freios ABS, controle eletrônico de estabilidade (ESP) e assistente de partida em rampa, para maior segurança. O veículo conta com direção elétrica com assistência variável e ajuste de altura e profundidade, a tração é dianteira e os pneus contam com sensores eletrônicos de pressão.

O interior é muito bem acabado, com design lindo e bancos bem confortáveis. A posição de direção é excelente para quem vai passar o dia todo trabalhando com o carro e o volante é multifuncional, com ajustes do som e da multimídia bem facilmente acessados em uma alavanca na coluna. O cluster do Kangoo é analógico integrado com uma tela TFT colorida digital de 4,2 polegadas que traz informações como velocidade, dados da viagem, pressão dos pneus, regeneração e uso da bateria, nível da bateria e os modos de direção. O veículo conta com uma alavanca de acionamento da transmissão e dos três modos de regeneração e o câmbio se comporta como automático, apesar de não haver uma caixa de transmissão. Completando o conforto do motorista, o console central, que é um porta-objetos, funciona como um descanso para o braço direito, bastante ergonômico e macio.

Existem quatro air-bags a bordo: um frontal e um lateral para o motorista e um frontal e um lateral para o segundo ocupante. Além disso, o veículo conta com diversos porta-objetos, o que é importante para quem trabalha com entregas, seja para armazenar chaves e outros itens, seja para ter onde colocar notas fiscais e outros documentos.

A central multimídia tem 8 polegadas e é moderna, com boa luminosidade e touch bastante sensível. Por meio dela é possível fazer o espelhando de smartphones Apple e Android utilizando cabo. A tela exibe as imagens da câmera de ré em boa resolução, um recurso excelente para garantir a segurança de manobras e do deslocamento em pátios e grandes empresas. O Kangoo traz diversas portas USB para carregamento de celulares, incluindo USB do tipo C.

Carga rápida

O carregamento do Kangoo é feito pela frente do veículo, abrindo-se o logo da Renault para revelar a tomada de recarga. O veículo oferece várias opções de carregamento: de 2,3 kW, adequado para carregamento em tomadas domésticas, com o tempo de recarga estimado em cerca de 12 a 15 horas; carregamento trifásico de corrente alternatada de 3,7 a 22 kW (inédito em veículos comerciais), configurado para carregamento em postos públicos e wallboxes; e carregamento rápido DC de 80 kW (corrente contínua) para carregadores ultrarrápidos de rodovias.

Segundo a Renault, a bateria do novo Kangoo E-Tech leva 2h40 (02h30) para passar de 15% a 80% de carga quando conectada a uma Wallbox de 11 kW e menos de seis horas em uma Wallbox de 7,4 kW. O Kangoo E-Tech também pode ser recarregado em uma tomada doméstica padrão ABNT em 220 volts com o uso de um carregador portátil, comercializado separadamente como acessório.

E quanto custa?

O novo Kangoo E-Tech da Renault movido a bateria tem versão única disponível no Brasil, completa, e pode ser comprado em duas cores: branco ou cinza. O veículo tem preço sugerido de R$ 259.990 e está disponível em toda a rede Renault, com 270 concessionárias espalhadas pelo Brasil. Segundo a empresa, um lote com 200 unidades do veículo já foi comercializado no Brasil este ano e se esgotou, mas novos pedidos podem ser feitos para um novo lote de importação.

Falando em concessionária, além das 270 unidades Renault Brasil afora, a marca conta ainda com 45 unidades que são Full E-Tech, especializadas em veículos elétricos, para garantir a disponibilidade dos Kangoo em qualquer circunstância.

Os Renault Kangoo E-Tech também estão disponíveis via sistema de assinatura de veículos da marca.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS