Testamos o Mercedes-Benz Atego 3033 8×2 Euro 6 bitruck na rodovia

Testamos o Mercedes-Benz Atego 3033 8×2 Euro 6 bitruck na rodovia

Caminhão de 30 toneladas é o semipesado da Mercedes-Benz com nova geração de câmbio automatizado e suspensão pneumática

Cummins estreia pacote de soluções integradas com novo motor X13
TransMaroni chega a 50 caminhões Scania movidos a gás na frota
Iveco ganha território no Rio Grande do Sul

A linha Atego da Mercedes-Benz tem representantes de caminhões nas categorias de semipesados e pesados, em diversas configurações, mas o grande apelo desta família está nos modelos abaixo de 40 toneladas, um mercado bastante acirrado que é dominado pela concorrência.

Para fazer frente à competição, a Mercedes-Benz lançou em 2022 sua nova família Atego Euro 6 e trouxe para o mercado brasileiro o modelo 3033, com configuração de eixos 8×2 e segundo eixo direcional de fábrica. O caminhão tem algumas características colocadas para atrair grandes frotistas da logística industrial, transportadores de carga própria, supermercadistas e autônomos que operam no transporte de alimentos e produtos agrícolas.

O modelo tem motorização Mercedes-Benz OM 926 L de seis cilindros e 7,2 litros, já consagrada no mercado nacional, que tem a capacidade de gerar uma potência máxima de 321 cavalos e um torque de até 1.250 Nm na faixa de rotação entre 1.200 e 1.600 rpm. O motor foi repotencializado para atender às novas normas de emissões Euro 6, que também demandou a instalação de um novo sistema de pós-tratamento, batizado de Bluetec 6 pela fabricante, que conta com injeção maior de Arla 32, DOC e filtro de material particulado.

O peso bruto total homologado do Atego 3033 8×2 é de 30.200 quilos, com capacidade técnica máxima de tracionar até 36 toneladas no peso bruto total combinado e a carga líquida fica entre 18 e 20 toneladas, dependendo da operação e do implemento a ser instalado.

Transmissão nova que fez diferença

Uma das grandes novidades deste caminhão na era Euro 6 é a utilização da transmissão automatizada Powershift G211 da Mercedes-Benz, considerada a novíssima geração da fabricante no Brasil. Ela trabalha com embreagem monodisco com 12 anéis sincronizadores e promete trocas até 40% mais rápidas e precisas do que a geração anterior, com acionamento simples pela alavanca posicionada na coluna de direção do caminhão. O sistema tem 12 marchas escalonadas, com a última sendo overdrive. Promete e cumpre. No teste que realizamos, o caminhão demonstrou uma precisão impressionante nas trocas de marchas. O cérebro eletrônico que controla o câmbio é novo e traz novos sensores e nova arquitetura, fazendo com que o caminhão literalmente “escolha” muito bem a marcha a ser utilizada em cada momento. Nas arrancadas, mesmo carregado, é comum partir de segunda ou terceira marcha, aproveitando o alto torque e baixo giro, e, nos momentos de velocidade de cruzeiro na rodovia, é fácil esquecer que existe um câmbio. As trocas são imperceptíveis e o caminhão não fica “procurando” a marcha ou variando o giro para fazer as trocas. Este câmbio é o padrão desta família e o Atego 3033 não tem opção com transmissão manual.

Autonomia de jato comercial

Outra característica do Ategão, como é chamado pelos operadores de forma carinhosa, é a grande autonomia que o caminhão oferece em suas configurações de fábrica. Por fazer médias de consumo acima de 4 quilômetros por litro e por ter tanques de diesel com capacidade de 630 litros, o veículo chega facilmente a autonomias superiores a 2.500 quilômetros. Nas aplicações rodoviárias, é um fator importante que se fez crucial na virada de chave do Euro 3 para o Euro 5, quando era mais difícil encontrar postos de abastecimento com diesel S10 de qualidade. Agora, com o Euro 6, o Atego ganhou um consumo cerca de 8% menor, o que lhe deu ainda mais autonomia e previsibilidade para que o motorista planeje bem suas paradas de abastecimento.

O pacote de equipamentos da versão testada do Atego 3033 inclui a suspensão a ar nos eixos traseiros, que permite a elevação ou o abaixamento da plataforma de carga para carga e descarga em diferentes tipos de docas. O acionamento é simples, por meio de um comando no painel, mas existe um controle remoto opcional que permite que se faça a operação de forma ainda mais fácil e rápida. Em segundos, as bolsas se enchem e esvaziam mudando a altura da traseira do caminhão, mesmo com ele totalmente carregado.

Outro equipamento que faz sucesso na linha de semipesados da Mercedes-Benz e que está reformulado no Atego Euro 6 é o sistema de frenagem auxiliar Top Brake, que pode ser acionado pela mesma alavanca da transmissão, na coluna do volante, com o primeiro estágio em frenagem simples e o segundo estágio que trabalha com o freio motor de borboleta, que aproveita a compressão das válvulas do motor proporcionando uma frenagem bem forte, totalizando 220 cavalos de potência, para que o motorista evita ao máximo utilizar os freios de serviço durante as viagens.

Completando o pacote de segurança e dirigibilidade do caminhão, o Atego 3033 tem sistema eletrônico de frenagem EBD, sistema antibloqueio dos freios ABS, controle de tração, controle de estabilidade e assistente de partida em rampa, que ajuda nos momentos de parada em aclives. Pena que ele só funciona por meio de acionamento de uma tecla no painel e o motorista tem que lembrar dele para que possa usá-lo.

 

Por dentro, o novo Atego é confortável e traz os novos bancos da Mercedes-Benz, com cinto de segurança de três pontas integrado e 11 ajustes, incluindo altura do assento e ajustes lombares. Bom para o motorista. Além disso, o acabamento é bom e a cabine do Atego é espaçosa. Na versão maior, que foi a que testamos, a cabine leito teto alto, o caminhão traz uma cama grande e é possível ficar de pé a bordo já que o teto chega a 1,98 metro de altura.

Na parte eletrônica, o Atego traz o sistema EcoDrive da Mercedes-Benz, que pode ser visualizado pela tela digital TFT colorida que fica no cluster, entre os mostradores analógicos. O sistema avalia as atitudes do motorista dando notas para sua postura em relação ao consumo, aceleração, frenagem, uso do freio motor e muitas outras funções. A mesma tela dá acesso a informações como pressão do óleo e da turbina, horímetro, tempo de direção, distância percorrida, média de consumo e o mapa de marchas que o caminhão está usando, mostrando a marcha atual e a próxima marcha a ser engatada. O novo câmbio traz a função EcoRoll, que é uma espécie de banguela eletrônica, que desacopla a marcha nos momentos em que não é necessário ter um giro alto do motor, reacoplando depois de forma segura. Todas as funções da tela digital podem ser navegadas por meio dos botões instalados no volante multifuncional.

O nosso teste foi realizado partindo da fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, rodando pela Rodovia Anchieta, pelo Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas e pelas rodovias Ayrton Senna, Carvalho Pinto e Dom Pedro, até a região de Igaratá, totalizando uma rodagem de 220,4 quilômetros em cerca de quatro horas e quarenta minutos de viagem, com o motorista Reginaldo Prado da Mercedes Benz. Neste trecho, o Atego 3033 fez uma média de consumo de 4,3 quilômetros rodados por litro de diesel consumido. O caminhão estava carregado com peso de balança, em sua capacidade total, com cerca de 18,5 mil quilos de lastro de pedra e areia.

Segundo a Mercedes-Benz, o Atego 3033 8×2 Euro 6 na configuração testada tem um preço de R$ 789.800,00 no mercado, dependendo da região do Brasil em que for comercializado, sem o implemento.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS