Empresa do agro adota lona branca nos caminhões para preservar sementes

Empresa do agro adota lona branca nos caminhões para preservar sementes

Segundo a Girassol Agrícola, lonas escuras para a cobertura das cargas de sementes absorvem até 95% do calor

Amaggi dá novo significado ao biodiesel em iniciativa sem precedentes
Plantão Covid-19 – episódio 14 – A visão do transportador: distribuição urbana
IVECO carrega rede de potência

A Girassol Agrícola, produtora de sementes de soja, milho, algodão e reflorestamento de eucalipto do Mato Grosso, iniciou um projeto piloto para a substituição das lonas dos caminhões que transportam seus produtos de escuras para brancas. O motivo, de acordo com a empresa, é o fato de as coberturas brancas não absorverem tanto calor durante as viagens de caminhão.

Os especialistas da empresa reafirmaram o fato de a qualidade das sementes que chegam ao produtor rural ser fundamental para sua produtividade, com vigor e alta taxa de germinação e a exposição das sementes ao calor durante o transporte é um fator que reduz esses parâmetros.  A unidade de Rondonópolis (MT) da empresa de sementes iniciou a transição do uso de lonas escuras que cobrem os caminhões de sua frota terceirizada para a utilização de lonas brancas. A iniciativa não é nova, porém, ainda com pouca aderência pelas empresas de sementes, e seus benefícios foram relatados em estudo em 1990 pela Embrapa Soja, e novamente feito em 2016.

O experimento, coordenado pelo pesquisador José de Barros França Neto, mostrou que 70% dos lotes de sementes de soja analisados tiveram queda no vigor durante o transporte rodoviário em lonas marrons ou mais escuras, em viagens com duração de dois a quatro dias. A germinação média dessas sementes reduziu 20,5% na comparação com o momento anterior às viagens. Como na época não havia equipamentos como sensores, os testes consideraram as características das sementes na saída e na chegada.

O trajeto avaliado teve a distância de 550 quilômetros, de Campo Mourão ao Porto de Paranaguá, no Paraná, com o transporte de distintos produtos, tanto a granel quanto ensacados. Esses veículos faziam o percurso durante o dia inteiro e o equipamento que media a umidade e a temperatura era colocado na mesma posição, sendo acompanhado em tempo real.

Para efeito de aferição, a pesquisa considerou a faixa de temperatura de 20°C a 35°C como aceitável. Os dados com o uso da lona branca chamam a atenção. Enquanto que no caminhão com a lona azul a temperatura ficou 26,8% acima da média ideal dos dias analisados, o veículo com a lona branca ficou em 8,8%. Com a cobertura escura, a temperatura na carroceria e carga tiveram picos de até 53,7°C e muitos dias com temperaturas acima de 40°C. Já na cobertura clara, houve pico de no máximo 44,7°C, uma única vez, sendo que 75,4% dos dias manteve a faixa ideal, enquanto que com lona azul chegou a 61,1%.

Somente por ser branca, a lona reduz comprovadamente a absorção de calor, mas é preciso ainda ter qualidade para não rasgar ou furar com facilidade.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS