Sprinter Truck versão Street transporta carga com o estilo Mercedes-Benz

Sprinter Truck versão Street transporta carga com o estilo Mercedes-Benz

Testamos a versão 315 CDI da Sprinter no chassi cabine em circuito urbano e o resultado é conforto, silêncio e tecnologia para o motorista

Brasdiesel reinaugura estrutura para atendimento Scania em Lajeado (RS)
Mercedes-Benz coloca o bloco da Saúde na rua
IVECO destaca seu portfólio ‘verde’ na Fenatran

A grande demanda por veículos urbanos de carga tem feito bem para o mercado brasileiro de vans, furgões e chassis cabine. Com diversas opções disponíveis, quem precisa transportar cargas leves em centros urbanos acaba encontrando veículos modernos e que dão conta do recado.

Teste urbano

É o caso da Sprinter, que acabou de fazer 25 anos de Brasil celebrando com uma reformulada no interior e nos motores, subindo um degrau a mais desde o lançamento da nova geração em nossas terras, lançada em 2019. Fabricada na Argentina, a plataforma Sprinter oferece uma gama de veículos com diversos PBTs e configurações para o transporte de cargas e passageiros, mas hoje o nosso foco é o teste que fizemos com a versão Street da Sprinter Truck, modelo 315 CDI chassi cabine, que tem Peso Bruto Total de 3,5 toneladas e, portanto, entra para a lista de veículos comerciais que podem ser conduzidos por motoristas habilitados com CNH categoria B.

Ficamos quatro dias com o veículo de fabricação ano 2021, já com as novas configurações de interior e com o novo motor OM 654 modernizado. O propulsor tem 150 cavalos de potência, sete a mais do que as versões anteriores, tem bloco de alumínio e pesa 35 quilos a menos do que o anterior.

Novo motor

O OM654 tem a cilindrada reduzida em 10% e utiliza um bloco 100% moldado em alumínio. Por esta característica, as dimensões da carcaça podem ser diminuídas e o peso é reduzido em 35 quilos. É um motor DOHC de quatro válvulas em linha de 4 cilindros + turbocompressor, com um eixo balanceador secundário de 2 eixos. O combustível é fornecido por meio de um sistema de injeção direta de combustível Common Rail. A taxa de compressão de 15,5 é ligeiramente inferior aos 16,2 do motor anterior, reduzindo o ruído de combustão. As emissões de NOx, HC e PM do motor são reduzidas alterando a forma da coroa do pistão e a adoção de pistões de aço.

Segundo a Mercedes-Benz Vans, os novos veículos têm melhor desempenho e menor consumo, chegando à faixa de 6% de economia em trechos urbanos e 11% nos rodoviários.

Isso foi constatado no nosso teste, que cumpriu um trajeto de cerca de 250 quilômetros pelas ruas de São Paulo, na zona sul, e pelo ABC Paulista, principalmente São Caetano do Sul e Santo André. Trabalhamos com pouco mais de meia carga, transportando sacos de areia e cimento. O consumo médio total foi de 10,9 quilômetros por litro de diesel, trabalhando apenas em trechos urbanos.

Os novos propulsores, que são fabricados na Argentina, assim como toda a linha Sprinter da Mercedes-Benz, atendem às normas de emissões Euro 6 e PROCONVE L7 e são equipados com sistemas EGR e SCR de pós-tratamento e redução dos poluentes. Os veículos utilizam o Arla 32. A transmissão é ZF manual de seis velocidades. A alavanca de câmbio é acoplada próximo ao painel, o que ajuda na ergonomia e traz conforto para o motorista. O trabalho de transportar o dia todo dirigindo uma Sprinter e trocando marchas é agradável. Não se chega do final do dia esgotado ou com dores. As trocas de marcha são precisas e “bem encaixadas” e o sistema do veículo tem um assistente que mostra no painel a sugestão de marcha ideal para cada momento, de acordo com o giro do motor.

Conforto e tecnologia a bordo

O assento é confortável e a posição de direção não prejudica os motoristas. É comum esquecer que estamos a bordo de um “quase caminhão”. A versão testada estava implementada com uma carroceria aberta granel de alumínio, com fácil abertura da tampa e bom acesso às cargas. Falta apenas um pouco de opções de ancoragem para a amarração das cargas, mas nada que prejudique o uso do veículo.

A nova geração da Sprinter chegou ao Brasil em 2019 com diversas novidades no segmento de sistemas eletrônicos de segurança. Além dos sistemas eletrônicos de controle de frenagem, tração e estabilidade de série, os veículos saem equipados com o sistema ABA, que consiste em um conjunto de câmera, radar e sensores que fazem a leitura da via em busca de obstáculos. Caso haja risco de colisão, o sistema avisa o motorista com alarmes sonoros e visuais e, se nada for feito, o veículo freia sozinho para evitar o acidente.

Além disso, o veículo é equipado com diversos sistemas eletrônicos de controle de tração, estabilidade, anti-tombamento e vento lateral. Tudo isso ajuda a ter mais segurança e confiabilidade ao dirigir. Nosso trajeto incluiu alguns trechos de asfalto bem liso e molhado e as curvas são seguras e não apresentam nenhuma “emoção” no trecho. Além disso, o veículo tem assistente de fadiga, que avisa no display o momento de parar para descansar, e o pacote inclui também, de série, o necessário e essencial assistente de partida em rampa, que segura o conjunto por alguns segundos antes de fazer o arranque.

Os freios são hidráulicos a disco em todas as rodas, com o conjunto frontal autoventilado. A direção é elétrica e tem boa precisão e giro de manobra e a tradicional tração traseira da Sprinter é uma característica a ser observada, já que proporciona uma viagem bem “assentada” e segura.

Por dentro, a Sprinter apresenta o padrão Mercedes-Benz de acabamento e realmente lembra características da linha de carros de luxo da marca. O volante multifuncional tem diversas funções e computador de bordo, acessível na pequena tela do cluster, mostra funções como nível de óleo, quilometragem das viagens, pressão dos pneus e muito mais. O sistema conta com ar-condicionado digital de série e o veículo tem acomodação para o motorista e mais dois ocupantes.

Destaque para a central multimídia e o sistema MUBX, que tem tela grande e muitas opções de configurações. É fácil se sentir em um carro de passeio a bordo da Sprinter. O modelo é conectado e pode utilizar os serviços de telemetria e gestão de frotas da marca, com aplicativos de produtividade e monitoramento.

Resumindo, é uma ferramenta de trabalho com recursos de sobra para fazer o transporte urbano com muitas entregas por dia, boa para o anda e pára da cidade e adequada para os espaços urbanos, respeitando as medidas para atender às restrições de circulação dos grandes centros, pois atende à Lei do VUC (Veículo Urbano de Carga). Pode rodar sossegada por qualquer parte de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba ou qualquer capital brasileira. Recomendamos fortemente.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS