Scania prevê uma jornada intensa para 2022

Scania prevê uma jornada intensa para 2022

“O ano de 2022 será um dos períodos mais importantes da Scania no Brasil”, diz o vice-presidente Fábio Souza

Iveco leva a Carga Solidária à estrada para aliviar dor da pandemia
Scania vai fabricar caminhões pesados na China
Plantão Covid-19 – episódio 20 – A visão dos fabricantes de implementos: presidente da ANFIR

A Scania vai completar 65 anos de Brasil em julho deste ano. E tem muito a comemorar! E muito a fazer também. O Brasil é o maior mercado de caminhões da marca no mundo e a Scania foi a única fabricante a emplacar três modelos de pesados entre os dez mais vendidos do país.

Diante de um cenário de dificuldades logísticas, de suprimentos e de incertezas de mercado, a Scania declarou que começa 2022 com um otimismo moderado nos mercados onde trabalha. Nos caminhões e ônibus, acompanha a projeção da Anfavea de 10% de crescimento nos caminhões e ônibus e inicia uma nova fase, com um novo comandante à frente de sua jornada.

O novo vice-presidente e diretor-geral de Operações Comerciais da Scania no Brasil é Fábio Souza, recém-chegado de uma experiência no comando da Scania na África do Sul. Ele substitui Roberto Barral, que foi para a Europa ocupar um novo cargo na Scania Europa Meridional.

Fábio chega em um momento em que a Scania, apesar de atuar em um cenário de crise no Brasil por causa da pandemia, vê um amadurecimento de seus serviços conectados, a consolidação de sua nova geração de caminhões no mercado brasileiro, com mais de 40 mil unidades produzidas em três anos, e novas oportunidades para o crescimento de sua participação de mercado em 2022. “Apesar de todos os problemas, o Brasil tem uma dinâmica própria e certos nichos da economia, como o agronegócio, por exemplo, não se vêem impactados, como a gente escuta na economia global. Isso é uma oportunidade para nós, para os nossos clientes, pois, apesar de todos os obstáculos, continuamos avançando. Em momentos como este, com inflação em alta, não tem solução melhor do que um Scania. Estamos falando em economia de combustível, em serviços conectados, tudo se vê nos números, e isso impacta muito na última linha do resultado dos nossos clientes”, disse o executivo.

Resultados de 2021

No segmento de caminhões, a Scania fechou 2021 com um total de 15.702 caminhões emplacados, segundo a Fenabrave, um aumento de mais de 80% em comparação com 2020, quando o resultado foi de 8.690 emplacamentos. O ganho de mercado da Scania de um ano para outro foi de 4%, quando sua participação foi de 19,6% para 23,6%. Os campeões de vendas da Scania em 2021 foram os caminhões extrapesados R 450 6×2, com 6.418 unidades emplacadas, e R 540 6×4, com 3.512 unidades.

Em 2021 a Scania ultrapassou a marca dos 40 mil caminhões da nova geração, lançados no final de 2018, fabricados no Brasil. A empresa atribui ao agronegócio e a segmentos específicos da indústria o aumento da demanda por caminhões pesados e reconhece a dificuldade de fornecimento da cadeia de suprimentos, o que tem atrasado a entrega de caminhões para os clientes.

E o ano passado também foi marcante para a Scania por ter sido o ano do novo ciclo de investimentos no Brasil, com um aporte de R$ 1,4 bilhão até 2024. Fábio Souza considera que em 2022 a Scania terá um de seus períodos mais importantes da marca no Brasil. “Um dos presentes de aniversário de 65 anos é que o Brasil acaba de se tornar uma região independente dentro da estrutura comercial global da Scania. Ou seja, passamos a responder diretamente para a Suécia separadamente da América Latina. Teremos muito mais responsabilidades, o que nos motiva demais nesta gestão”, explicou o vice-presidente.

Setenta mil conectados em 2022

Os serviços da Scania também tiveram destaque no ano passado. A empresa fechou 2021 com crescimento de 29% nas vendas de programas de manutenção do tipo PMS e 27% de aumento no tamanho da carteira de planos ativos. “Pretendemos aumentar nosso número de veículos conectados em 2022 em 30%, chegando a 70 mil, e superar o exercício passado, o melhor ano da história de serviços da Scania”, diz Marcelo Montanha, diretor de Serviços da Scania. Ele revelou que outro objetivo para este ano será a abertura de mais 15 pontos de atendimento e dar continuidade à padronização e digitalização da rede de concessionárias.

Seiscentos caminhões a gás

Outra grande marca da Scania em 2021 foi ultrapassar a casa dos 600 caminhões movidos a gás vendidos no Brasil. Os caminhões utilizam Gás Natural Veicular e/ou biometano para rodar e poluem de 15% a 90% menos do que os caminhões a diesel. A solução, fabricada em São Bernardo do Campo (SP), comprovou sua eficiência em diversos segmentos, como no transporte de alimentos, bebidas, produtos frigorificados, combustíveis, encomendas, cosméticos e produtos supermercadistas. Entre os embarcadores que já utilizam os caminhões a gás da Scania por meio das transportadoras que prestam serviços a eles estão Unilever, Gerdau, Nestlè, Mercado Livre, Americanas.com, Pepsico, Carrefour e L’oréal.

A novidade neste campo é a venda dos primeiros caminhões a gás da Scania que rodam com gás natural liquefeito (GNL). A diferença deste modelo é a alimentação e o estado do combustível. Ao invés de utilizar cilindros de gás em alta pressão, ele roda com o combustível em estado líquido, o que permite que sua autonomia ultrapasse os 900 quilômetros. No caso dos veículos movidos a gás comum, a autonomia cai pela metade.

O cliente é a transportadora Morada Logística, que já utiliza outros 25 caminhões da Scania abastecidos com gás. Agora, a empresa comprou cinco unidades movidas a GNL, que iniciam em fevereiro o trabalho em rotas no Estado de São Paulo. A Scania informou que as entregas este lote de cinco caminhões vão acontecer ao longo de 2022.

A Morada Logística opera com mais de 500 caminhões próprios e roda mais de 60 milhões de quilômetros por ano. “Entendemos a nossa responsabilidade e queremos contribuir com a sustentabilidade do transporte rodoviário de cargas. Investir em veículos menos poluentes está entre as nossas apostas de negócio”, diz o CEO da empresa, André Leopoldo.

Quando a Scania começou seu projeto de caminhões pesados a gás, a Morada foi a primeira a testar os veículos, no começo de 2019. No total, foram 400 mil quilômetros rodados em testes entre o interior de São Paulo e a cidade de Santos, no litoral, com o modelo R 410 6×2 puxando uma carreta de três eixos espaçados.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

Clique aqui para assistir a vídeos sobre transporte todos os dias na TV Transporta Brasil

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS