O que é o Canal de Suez e por que ele é importante?

O que é o Canal de Suez e por que ele é importante?

Incidente com navio porta-contêineres no corredor aquático que liga a Europa à Ásia colocou o Canal de Suez em destaque no noticiário. Afinal, o que é este canal e por que ele é tão importante?

Estande da Volkswagen Caminhões e Ônibus na Fenatran 2019 homenageou as cores do Brasil
VW Caminhões vai fabricar 100 Delivery elétricos para a Ambev no Brasil
Suzantur recebe novos chassis Iveco Bus

O encalhamento do mega navio porta-contêineres Ever Given na parte Sul do Canal de Suez esta semana colocou aquela região especial do mundo em destaque nos noticiários. O navio, que tem mais de 400 metros de comprimento, foi jogado pela tempestade de areia contra as margens do canal e encalhou, bloqueando a passagem entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho, um dos mais importantes corredores de cargas do mundo.

O navio, graças às marés e ao trabalho das equipes de resgate, já liberou a passagem do Canal e o fluxo de embarcações vai voltar ao normal em até seis dias. Enquanto bloqueava o Canal de Suez, o navio Ever Given, da armadora Evergreen, uma das maiores do mundo, impediu a passagem de 1,1 milhão de toneladas de cargas por dia, o equivalente a mais de 55 mil contêineres de 20 pés.

O que é o Canal de Suez?

É uma hidrovia artificial de quase 200 quilômetros que corta o Egito para fazer a ligação entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho e, por extensão, os oceanos Atlântico e Índico. Isso o torna um ponto de trânsito fundamental para navios que transportam mercadorias entre a Ásia e a Europa e o leste dos Estados Unidos. O canal começou a funcionar em 1869, 45 anos antes do Canal do Panamá, que é muito mais curto, ligando os oceanos Pacífico e Atlântico.

Sem o canal, os navios teriam que dar toda a volta na África pelo Cabo da Boa Esperança para acessar seus destinos e uma viagem que acrescenta até 8 mil quilômetros na jornada.

Com o Canal de Suez, o mundo consegue fazer a conexão de 400 navios por dia transportando mais de um milhão de toneladas entre as maiores regiões comerciais do globo. Cerca de 12% do comércio mundial passam pelo canal a cada ano, incluindo produtos essenciais como petróleo, café, commodities e bens industrializados. O canal foi criado quando o Egito estava sob o controle do Império Otomano em meados do século XIX. A construção começou no final de Port Said no início de 1859, a escavação levou 10 anos e o projeto exigiu cerca de 1,5 milhão de trabalhadores. Estima-se que 120 mil egípcios tenham morrido durante as obras de escavação do canal.

Se encalhar, é problema

Estimativas dão conta de que o engarrafamento de navios causados pelo encalhe do Ever Given gere prejuízos da ordem de US$ 9,6 bilhões (mais de R$ 53 bilhões) em mercadorias por dia. De acordo com cálculos da Lloyd’s List, sugerindo que o tráfego no sentido Oeste equivale a cerca de US$ 5,1 bilhões por dia, e o tráfego no sentido Leste movimenta US$ 4,5 bilhões por dia. As empresas de transporte marítimo globais começaram a redirecionar as rotas de carga, sendo uma das opções o Cabo da Boa Esperança, na África. Sete navios-tanque transportando gás natural liquefeito (GNL) foram desviados na sexta-feira, depois que o bloqueio causou a suspensão do tráfego no canal.

Três dos petroleiros estavam sendo desviados para a rota mais longa, via Cabo da Boa Esperança, segundo relatou para o site Bloomberg.com a empresa de inteligência de dados Kpler.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS