Nas minas do fora de estrada: Scania apresenta seu caminhão mais pesado e poderoso

Nas minas do fora de estrada: Scania apresenta seu caminhão mais pesado e poderoso

Novo Scania G 540 10x4 Heavy Tipper chega com vocação para os trabalhos off-road e capacidade de carga de até 55 toneladas, estrutura reforçada e apetite para o trabalho

Empresa australiana compra 14 jatos Embraer E190
Daimler Truck AG apresenta sistema de abastecimento de hidrogênio líquido para caminhões
Unicórnio de fretes com operação no Brasil levanta US$ 1,7 bi em investimentos

A Scania trouxe para o Brasil em 2018 sua linha de caminhões vocacionais fora de estrada Heavy Tipper, da família XT, indicada para operações severas em mineração e construção pesada. O lançamento representou um grande passo para este segmento em nosso país e faz parte de uma estratégia global da marca no desenvolvimento e comercialização de caminhões fora de estrada. Na época, seu maior modelo tinha configuração de eixos 8×4.

Agora, a fabricante apresenta seu caminhão mais pesado e mais parrudo: o Scania XT G 540 Heavy Tipper 10×4, com três eixos direcionais, dois deles tracionados, e uma série de novidades que o fazem aguentar o tranco das operações difíceis e trazer bons resultados para seus operadores.

“Este segmento off-road, principalmente na construção, tem a presença de máquinas amarelas, que tradicionalmente são cotadas em dólar e não contam com os atributos de ergonomia e conforto para o motorista. Estamos trazendo um diferencial, porque o Heavy Tipper 10×4 tem características rodoviárias, apesar de ser feito para o off-road, e atende a diversas exigências do cliente, sendo mais adequando para estas operações”, disse Fabrício Vieira, gerente de Soluções Off-Road da Scania Brasil, em entrevista ao vivo exclusiva para o Transporta Brasil.

Fabrício conta que o caminhão lançado pela Scania vem para atender às necessidades dos clientes da marca e, por isso, trazem maior capacidade de carga para a mineração e construção pesada, com até 55 toneladas líquidas. “Tudo para reduzir os custos operacionais e aumentar a produtividade. No segmento fora de estrada, não se fala em quilômetro rodado, e, sim, em horas trabalhadas. E é aí que entram o Opex, ou seja, as despesas operacionais, e o Capex, as despesas de capital, menores do que outros tipos de equipamentos”, diz o executivo.

Scania em todos os detalhes

Outro atributo do novo monstro da Scania, que tem capacidade máxima de tração de até 210 toneladas, motor XPI de 540 cavalos e 2.700 Nm de torque máximo, é o fato de 100% do projeto ser feito pela fabricante. Isso inclui o trem de força, os eixos, a estrutura e toda a tecnologia embarcada. “O novo G540 10×4 é 100% Scania, e nos orgulhamos disso. Isso faz com que consigamos garantir a qualidade e o alto nível dos componentes em toda a cadeia de produção do caminhão, que é feito em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista”, conta Fabrício.

Perguntado sobre as adaptações que a fábrica paulista teve que fazer para produzir o novo caminhão, Fabrício lembrou que, a partir de 2018, com a chegada da nova geração dos caminhões da marca e o investimento bilionário feito para tornar a produção modular, a Engenharia não precisou fazer adaptações ou preparações. “A Scania tem quatro plantas de fabricação de caminhões no mundo: três na Europa e uma no Brasil. E a fábrica brasileira tem nível global e está preparada para a produção de qualquer modelo Scania, graças ao sistema modular de fabricação”, complementa Vieira.

Características de um monstro

O Scania XT G 540 10×4 Heavy Tipper não foi concebido para brincadeiras. De acordo com a fabricante, o caminhão saltou de 44 toneladas de capacidade de carga líquida na versão anterior, com configuração 8×4, para impressionantes 55 toneladas de carga líquida, na nova versão 10×4. Com isso, o veículo teve seu Peso Bruto Total aumentado para 69 toneladas. O que isso significa? De acordo com a Scania, 15% de redução de custo por tonelada movimentada em relação ao irmão menor.

Mas, para que isso aconteça, foi necessário realizar um projeto com grande resistência e capacidade de tração. O super-caminhão da Scania tem motor de 540 cavalos de potência com tecnologia XPI, que tem injeção multiponto de alta pressão, para melhor queima de diesel, e bloco feito em composto especial. Os 2.700 Nm de torque máximo do caminhão são controlados por uma caixa de transmissão Scania Opticruise de 14 velocidades com alavanca de modo Off-Road, que, ao ser utilizada, faz o motor girar em rotações maiores. Esta transmissão é uma Scania Modelo GRSO935R, de alta resistência.

Esta caixa tem aquela famosa tecnologia Scania, o Lay Shaft Brake, um freio do eixo secundário que ajuda o câmbio a fazer trocas mais rápidas, precisas e suaves.

Robustão

E para puxar 210 toneladas e chegar a uma capacidade de carga líquida de 55 toneladas, o caminhão teve que receber alguns componentes especiais: ele tem bogie traseiro com capacidade nominal de 36 toneladas e eixos diferenciais especiais, com capacidade de 11 toneladas cada um. A Scania conta que o eixo cardan deste modelo suporta maior torque para melhor partidas em rampa, tem diferencial mais forte e redutor de cubo com relação final 7.63

O sistema de frenagem auxiliar tem o consagrado freio hidráulico Scania Retarder com desacoplamento do rotor do trem de força, que funciona quando o sistema não estiver acionado para economizar combustível. Com potência de 4.100Nm, ele aumenta significativamente a performance da frenagem, principalmente em baixas velocidades, além de diminuir os custos de manutenção, pois reduz o desgaste do freio de serviço, das lonas e tambores, especialmente, em descidas íngremes e muito acidentadas.

O monstrão 10×4 da Scania tem ainda , de série, controle de tração, hill-hold (sistema de auxílio que segura o veículo em aclives, impedindo que ele recue no momento da saída), eixo traseiro com diferencial duplo, para-choque em aço com ângulo de ataque de 29º, proteção nos faróis, espelhos retrovisores reforçados e pino de reboque frontal com capacidade de 40 t. A Scania traz alguns itens customizados para o fora de estrada, como limpador de para-brisa na posição vertical, indicadores de torque dos parafusos das rodas, degrau articulado e preparação para o inclinômetro e para a estrutura física e elétrica do implemento.

E tem os opcionais: o cliente pode pedir o airbag no volante e airbag lateral de cortina, exclusivo da marca que protege o motorista em caso de tombamento. No catálogo, estão também disponíveis itens como o sistema de bafômetro, que só libera a partida após testar que o condutor não ingeriu bebidas alcoólicas nas últimas horas.

Clique aqui para conhecer nosso conteúdo no Facebook

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS