Caminhoneiros precisam de postos abertos no caminho

Caminhoneiros precisam de postos abertos no caminho

Muitos estão tendo dificuldades para encontrar locais para comer nas paradas tradicionais e fazem apelo à nação: forneçam alimento que a gente compra

Volkswagen oferece transmissão Traxon para linha Constellation
Librelato quer um quinto do mercado em 2019
Colômbia terá frota elétrica da BYD

Os caminhoneiros, grandes detentores da simpatia da opinião pública durante a crise da doença causada pelo novo coronavírus, são podem ficar em casa e precisam transportar o Brasil para que as medidas de isolamento social sejam cumpridas com sucesso nas cidades e em todo o Brasil.

Conversamos com motoristas em diversas regiões do Brasil, acompanhamos o noticiário e, na semana passada, fizemos uma transmissão ao vivo com o caminhoneiro Adriano Couto, que transporta carga frigorificada no eixo do Cone Sul, atendendo, também, ao transporte internacional.

Caminhoneiro nas estradas

Segundo Adriano, a situação de muitos caminhoneiros no Brasil é difícil, principalmente, por causa da falta de locais para fazer ou comprar refeições ao longo das rodovias. “Falta lugar para comprar marmita e também itens de higiene, como sabão, álcool gel, luvas ou máscaras. A gente não encontra nada. Mas o caminhoneiro hoje está consciente de que se ele não se cuidar, vai ficar doente. O pessoal está lavando as mãos como nunca e mantendo o ritmo de trabalho”, diz Couto, que estava em uma para no Mato Grosso quando falou com a reportagem da Agência Transporta Brasil.

Ouça e assista à entrevista completa, que foi transmitida ao vivo pelo Facebook da Agência Transporta Brasil:

Direto da Redação – entrevista com o caminhoneiro Adriano Couto

Nossa entrevista como caminhoneiro Adriano Couto, em Mato Grosso, sobre os impactos da pandemia no transporte de cargas #agenciatransportabrasil #transportabrasil

Publicado por Transporta Brasil em Terça-feira, 24 de março de 2020

 

 

 

COMMENTS