Brasileiros vão à Colômbia para exportar implementos rodoviários

Brasileiros vão à Colômbia para exportar implementos rodoviários

Missão de fabricantes brasileiros, capitaneados pela Anfir e pela Apex-Brasil, estiveram no país vizinho em fevereiro para aumentar as possibilidades de exportações de implementos rodoviários

Meritor compra empresa para atacar off-road
Fretebras cria sistema de avaliação entre empresas e caminhoneiros
Foton vende seis caminhões para transportador de bebidas no Nordeste

Vender para clientes estrangeiros não é fácil. Ainda mais se o produto for um implemento rodoviário, artigo de alto valor agregado, difícil produção e grande valor operacional. A Anfir, Associação que reúne os fabricantes de implementos rodoviários do Brasil, realizou no mês passado uma ação para fomentar as exportações para países vizinhos.

Um grupo de 19 empresas associadas à Anfir esteve na cidade de Bogotá, na Colômbia. O encontro é parte da Missão Comercial que integra o programa de promoção de exportações MoveBrazil, desenvolvido em parceria pela Anfir e pela Apex-Brasil, agência de fomento de comércio exterior do governo brasileiro.

No grupo, participaram 19 empresas brasileiras fabricantes de implementos: Aspock, Forbal, Frigo King, Hidromas, Ibiporã, Grimaldi, Haldex, Hallco Industries, HC Hornburg, Hyva do Brasil, Randon, Rodotécnica, Rossetti, Librelato, Rhodoss, Silpa, Fibrasil, Randon-Triel e Thermo Star.

Por que exportar?

Um dos participantes do grupo, o executivo Robison Silva, gerente de Exportação da Frigo King, conversou com exclusividade com a Agência Transporta Brasil e revelou que considera este tipo de ação muito importante. “Na Frigo King exportar faz parte do nosso DNA. Essa missão em Bogotá foi nossa terceira participação no programa. As outras duas vezes foram a 3ª Rodada de Negócios Internacionais, ocorrida em Santa Catarina em novembro de 2018; e a Expoproveedores del Transporte, que foi realizada em Monterrey, México, em maio de 2019. Somos veteranos em ações de exportação. Em todos esses eventos abrimos novos contatos e nos aproximamos mais de nossos parceiros”, disse o executivo à nossa reportagem.

Segundo Silva, o processo de exportação é complexo e passa por muitas etapas e todo apoio é bem-vindo. Para ele, o Programa MoveBrasil cria condições para que, coletivamente, as empresas apresentem seu setor ao mercado comprador. “Isso passa uma imagem forte e positiva da nossa indústria. A preparação de todos nós é fundamental para transformar ação em faturamento”, diz.

Concorrência mundial

O segmento de implementos rodoviários tem uma grande concorrência no mercado externo, com um grande número de participantes dos mais variados países e regiões. De acordo com o gerente da Frigo King, as empresas estrangeiras são competentes e, em alguns casos, seus governos têm políticas claras de apoio direto ao exportador. “Com isso, o implemento brasileiro sofre bastante com a concorrências, mas, podemos dizer que o mercado latino-americano está muito receptivo aos produtos brasileiros”, conta.

E o implemento brasileiro não faz feio lá fora. Os fabricantes lembram que o Brasil é, de longe, o maior parque industrial da América Latina e tem décadas de experiência e este é um valor bastante percebido pelos mercados vizinhos.

Leo Doca – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS