Delivery Express da Volkswagen teve crescimento de 167% nas vendas ano passado

Delivery Express da Volkswagen teve crescimento de 167% nas vendas ano passado

Caminhão com Peso Bruto Total de 3,5 toneladas saltou de 1.300 emplacamentos em 2018 para 3.497 unidades em 2019

Volvo coloca terceira geração da linha VM no mercado
CCR ViaOeste disponibiliza simulador de direção de caminhão aos usuários do Sistema Castello-Raposo
Mercedes-Benz oferece treinamento itinerante sobre seu sistema Euro 5

O Delivery Express, caminhão leve da Volkswagen voltado para o segmento de 3 a 3,5 toneladas de Peso Bruto Total, teve um crescimento de vendas de 167% em 2019, segundo números da Fenabrave.

De acordo com a fabricante, o novo caminhão foi apresentado na Fenatran 2017 e teve suas vendas oficialmente iniciadas em maio de 2018. Naquele ano, o modelo leve registrou 1.300 emplacamentos. Já em 2019, o número saltou para 3.497 unidades. Os dados são da Fenabrave – a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores.

Com o resultado, a participação de mercado do caminhão que todos podem dirigir – já que a condução do DLX exige apenas a carteira B – passou de 11% para 24.4%.

“Em seu primeiro ‘ano cheio’ no mercado, o DLX demonstrou que veio para conquistar a liderança, com aceitação imediata dos nossos clientes. Estamos orgulhosos dos resultados de 2019 e sabemos que podemos ir ainda além, uma vez que nosso produto possui atributos que o tornam a melhor opção para os mais diversos tipos de negócio”, afirma Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Para agilizar sua entrada em operação, o Delivery Express pode sair com implemento de fábrica. O cliente pode escolher entre carga seca ou baú, com todas as garantias desses equipamentos preservadas por seu fabricante, a Randon. Além disso, os caminhões passam a dispor da instalação da câmera de ré pelo parceiro exclusivo da marca, o BMB. Os implementos tiveram um projeto cuidadosamente desenvolvido pela Randon para os caminhões VW.

Agência Transporta Brasil

COMMENTS