Scania traz muitas novidades para o transporte brasileiro

Scania traz muitas novidades para o transporte brasileiro

Fábrica mineira da Mercedes-Benz terá investimentos de 200 milhões de euros
Ford Caminhões apresenta o Cargo Power para brigar nos semipesados
MAN Latin America passa a exportar linha vocacional

Nova geração de caminhões da marca chega oficialmente ao Brasil e América Latina, com novas configurações de cabines e desenho. Motorização e planos de manutenção também trazem boas notícias para o transportador

Eles prometeram e cumpriram. Depois de dois anos de espera, a América Latina recebe a nova geração de caminhões Scania, que vem, com o perdão do trocadilho, carregada de novidades. Não é exagero afirmar isso: tem novas cabines, novos motores, investimento em motor a gás, novidades no sistema de veículos conectados, nos contratos de manutenção… A Scania está apostando para valer no mercado brasileiro e latino-americano e quer inovar em suas frentes de trabalho.

Adeus às velhas cabines P, G e R

A começar pelas novidades, a Scania está dizendo adeus às suas velhas cabines, que fizeram sucesso no mercado por uma década. O novo caminhão Scania tem as mesmas denominações de cabines, incluindo a super cabine S, mas, segundo a fabricante, nenhuma peça das cabines antigas foi aproveitada. Tudo é 100% novo.

“O lançamento da nova cabine, seja na Europa ou na América Latina, é muito mais do que uma mudança na geração de modelos,” afirma Celso Mendonça, gerente de Pré-Vendas da Scania no Brasil. “Estamos acelerando o nosso trabalho para estabelecer a Scania como a líder indiscutível, quando se trata de fornecer soluções de transportes sustentáveis para o presente e futuro na região. Tendo a digitalização como alavanca, queremos elevar a rentabilidade dos clientes a um nível bem superior e contribuir para um sistema independente dos combustíveis fósseis.”

As novas cabines foram desenvolvidas com a mais alta tecnologia disponível no mercado e sob a perspectiva do motorista. A marca sueca decidiu manter a nomenclatura P, G e R, mas nenhuma peça da cabine da atual gama foi reaproveitada. É uma característica da Scania privilegiar o motorista na criação do seu produto, algo que faz toda a diferença no dia a dia do trabalho no setor de transportes. O posicionamento do condutor foi realocado para que ele tenha uma melhor visibilidade externa e o painel foi rebaixado. Com isso, a ergonomia está ainda mais adequada e há aumento da segurança na condução.

Da linha atual, a Scania passará de 7 opções para 19 tipos de combinações variantes das novas cabines P, G, R, além da estreante S. Junta-se à novas cabines o pacote XT, formado por componentes específicos para pisos irregulares e também indicados para operações fora-de-estrada. As alternativas de teto serão baixo, normal e alto (Highline). A cabine S é uma das principais novidades para a América Latina, pois traz o piso plano como maior vantagem, e que melhora o deslocamento interno do motorista, propiciando mais conforto.

Novos motores

A nova linha traz opções de motorização de 220 até 540 cavalos de potência. Os de potência mais baixa são novidade: motores de 7 litros para o segmento semipesado. Com eles, a Scania passa a atacar o segmento de entrada dessa categoria.

A grande novidade é o motor de 540 cavalos. Agora a Scania tem um competidor para o best-seller da Volvo, o FH 540. Vamos aos motores: 7 litros (220, 250 e 280 cavalos de potência – torque de 1.000 a 1.200Nm), 9 litros (280, 320, 360cv – torque de 1400 a 1.700Nm), 13 litros (410, 450, 500 e 540cv – com variação de torque de 2.150 a 2.700Nm) e 16 litros (V8 de 620cv e 3.000Nm de torque).

Opções de combustíveis alternativos

A jornada da Scania para um sistema de transporte com menos emissões de poluentes não mede esforços na evolução do mercado. No campo da sustentabilidade, o lançamento chega com três novos motores, movidos a GNV/Biometano (280, 340 e 410 cavalos).

“A Scania analisa profundamente a sustentabilidade. Oferecemos o “aqui e agora”, ou seja, as alternativas que são viáveis para cada realidade de mercado. Não adianta trazer uma opção ecologicamente boa e inviável financeiramente”, explica.

Economizando tempo na troca de marchas

Outra grande novidade é que a Scania está introduzindo o lay shaft brake, um sistema de freio de eixos como padrão nas caixas Opticruise. Trata-se de uma solução simples que faz uma grande diferença quando relacionada a condução e desempenho. Graças ao freio do eixo, a caixa de câmbio GRS905, realiza a troca em 0,4 segundos, o que significa que o tempo de mudança de marcha foi reduzido pela metade. Utilizar o lay shaft brake não só reduz o tempo de mudança de marcha, mas também contribui para que a pressão do turbo seja mantida. Portanto, o veículo irá aumentar a velocidade para a próxima marcha com maior torque, mantendo a suavidade das trocas. Este recurso irá melhorar a dirigibilidade em condições difíceis e levar ao aumento de desempenho em todos os tipos de condução rodoviária, incluindo a partida.

A nova linha traz, ainda, como novidade a matéria-prima utilizada em sua construção. Os motores passam a ser produzidos em CGI, um composto compactado de ferro e grafite que duplica a resistência a fadiga. Dessa forma, ele está ainda mais preparado para suportar o aumento na pressão de combustão dentro do cilindro. Apesar de mais robusto e resistente, o novo motor continua leve. Também foram aperfeiçoados componentes como o tanque de ARLA 32 (Agente Redutor Líquido Automotivo), o sistema de SCR (Redução Catalítica Seletiva), os cabeçotes, as tampas de válvulas, o sistema de filtragem de combustível e as bombas de baixa e alta pressão.

Espaço maximizado na cabine S

Segundo a Scania, todas as cabines são projetadas com foco no motorista. Independentemente de qual o cliente escolha, eles terão espaço interior ainda mais generoso do que antes. Trata-se de um acréscimo de duas polegadas de comprimento, e também um aumento geral na altura do teto. O novo teto padrão é 10 centímetros maior do que o atual, passando a 2,7 metros de altura. E mesmo os modelos de teto superiores são um pouco mais espaçosos do que antes. A diferença de altura chega a 16 centímetros, que será apreciada particularmente por aqueles que passam mais tempo na cabina.

O maior destaque em termos de altura é a nova cabine S, que tem piso completamente plano (inédito na linha Scania). Será, naturalmente, a escolha para os clientes com as mais altas exigências de conforto e produtividade. O espaço interior é magnífico. Para entrar são quatro degraus, ao contrário dos três tradicionais. A versão S é o topo em termos de conforto, armazenamento interno, máximo espaço, ergonomia e visibilidade. Um verdadeiro objeto de desejo.

Mais visibilidade

Nas novas cabines, a posição de direção do motorista foi deslocada 65mm mais próximo do pára-brisas e 20mm para o lado, em comparação com a cabine atual. Dentre os principais benefícios estão melhorias em segurança, visibilidade e espaços interiores (particularmente para as camas e regulação dos estágios da suspensão a ar dos assentos).

A melhor visibilidade foi alcançada graças a uma maior área envidraçada frontal e pela realocação numa posição mais baixa do painel de instrumentos. Os retrovisores receberam um novo design completamente focado em aerodinâmica de alta eficiência. Os ocupantes passam a ter uma visão das imediações do caminhão ainda maiores. Os espelhos frontais também ganharam novo design e formato, com o objetivo de oferecer um maior campo de visão e melhor aerodinâmica. O ajuste elétrico está disponível como opcional. Todos os suportes de espelho podem ser pintados.

Primeiro caminhão com airbags laterais

As novas cabines podem ser equipadas com airbags laterais anticapotamento, que são integrados no teto, uma técnica inédita para caminhões. Com o cinto de segurança, a “cortina” de airbags é uma característica crucial na prevenção de um dos tipos mais comuns de acidentes, com consequências graves envolvendo caminhões: o motorista ser atingido dentro da cabine por partes interiores ou ser preso por baixo dela.

COMMENTS