Porto de Santos quer reorganizar ligação intermodal com agendamento ferroviário

Terminal portuário T-Grão é multado por não agendar caminhões em Santos (SP)
Porto Chibatão (AM) passa a adotar agendamento eletrônico de caminhões
Porto de Santos (SP) deve adotar modelo de agendamento para a chegada de trens

viaduto-santos

A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), estatal que administra o Porto de Santos, irá implantar um serviço de agendamento ferroviário para melhorar o controle sobre a chegada das cargas em vagões no complexo marítimo. Os planos, ainda em fase inicial, foram revelados pelo diretor de Operações Logísticas da estatal, Cleveland Sampaio Lofrano.

+ Minas Gerais reajusta preço do frete para compensar alta do diesel

Segundo o executivo, as composições deverão obedecer critérios como ocorre no modal rodoviário. Haverá uma programação conjunta entre as concessionárias ferroviárias que atendem a região (a Rumo-ALL e a MRS Logística), que será coordenada através de uma central de controle.

Esta é uma das medidas da Autoridade Portuária para facilitar e, assim, impulsionar o transporte ferroviário no cais santista. O modal tem ampliado sua participação no deslocamento de mercadorias entre o complexo e o interior do País nos últimos anos Em 2010, as cargas transportadas em vagões somaram 19 milhões de toneladas, 19,5% de tudo o que passou pelos terminais marítimos da região no período. Já no ano passado, chegou a 27,5 milhões de toneladas, 24,7% das cargas.

+ Mais ágil que concorrentes, Elog é premiada por eficiência em transporte pela Infraero

A expectativa é de que, em dez anos, o modal responda por 40% das mercadorias que seguem em direção ao cais santista. Considerando apenas as commodities (principalmente as agrícolas, como soja e milho), essa participação é ainda maior, chegando a 58%.

Em números absolutos, o movimento de vagões entre o interior do Brasil e o Porto de Santos também vem crescendo. No ano passado, aumentou 4,58%. Em contrapartida, o de caminhões caiu 5,76%. A expansão do modal ferroviário no transporte de cargas como granéis sólidos de origem vegetal (açúcar e grãos) impulsionou essa mudança na matriz de transporte de mercadorias.

Para ampliar ainda mais a participação das ferrovias no transporte de cargas no Porto, o diretor de Operações Logísticas também estuda segregar o tráfego de trens e eliminar conflitos rodo-ferroviários no Porto de Santos. Nesse processo, o agendamento de vagões é uma das ferramentas a serem utilizadas pela Docas.

+ Saiba tudo do mundo do transporte e da logística. Curta nossa página no Facebook!

COMMENTS