Hidrovia Tietê-Paraná reabre após quase dois anos fechada por causa da seca

Hidrovia Tietê-Paraná reabre após quase dois anos fechada por causa da seca

Iveco triplica capacidade de produção em Sete Lagoas (MG)
Portos do Paraná batem recorde na movimentação pelo terceiro ano consecutivo
Gol oferece novo sistema de venda de passagens

hidrovias

Após 20 meses interditada devido à seca, a hidrovia Tietê-Paraná, uma das principais vias de exportação do país, será reaberta para navegação nesta quarta-feira (27), pela Marinha, graças às chuvas das últimas semanas. A interdição, feita em maio de 2014 pelo órgão, causou prejuízos de ao menos R$ 1 bilhão às empresas de navegação e tirou o emprego de cerca de 1.600 pessoas, além de afetar o transporte entre os usuários desse tipo de via.

+ Quase 99% das exportações do Brasil em 2015 passaram pelos portos

A informação,  que era para ser motivo de comemoração entre as empresas de navegação, ainda causa preocupação, pois não há garantias de que a hidrovia estará imune a um novo rebaixamento de água. O problema é que a mesma água usada na navegação é demandada para a geração de energia. Nos últimos meses, a prioridade foi usar o recurso nas hidrelétricas.

“Enquanto não tivermos a real garantia de que o nível da água não será mais reduzido, não vamos nos sentir seguros para investir de novo”, diz Edson Palmesan, presidente do sindicato dos armadores do Estado de SP.

O transporte por hidrovia é uma das opções mais baratas para a logística: o custo costuma ser um quarto do valor do transporte rodoviário, para onde muitas empresas, sem a estrutura do modal ferroviário, tiveram que migrar. O modal, que em 2013 transportou 6,2 milhões de toneladas em grãos (soja e milho, principalmente), celulose, madeira e cana, teve queda de 26,2% no volume transportado em 2014 e parou totalmente em 2015.

+ Hidrovia em Nova Xavantina (MT) avança e pode ganhar primeiros contornos

Segundo dados do setor, cerca de R$ 10 bilhões em produtos são transportados por ano pela hidrovia, que possui 2.400 km e atende SP, MG, MT, MS, PR e GO. A suspensão da navegação foi tomada por causa do baixo calado (profundidade segura para a navegação) e do excesso de pedras no reservatório de Três Irmãos, entre o km 99,5 e a eclusa de Nova Avanhandava, no sentido SP.

No momento mais crítico, em 4 de fevereiro de 2015, o reservatório de Três Irmãos atingiu o nível de 318,85 m. Para a retomada da navegação, é preciso o nível mínimo de 325,40 m. Na última semana, ele chegou a 326,40 m.

+ Saiba tudo do mundo do transporte e da logística. Curta nossa página no Facebook!

 

COMMENTS