Hidrovia Tietê-Paraná reabre após quase dois anos fechada por causa da seca

Hidrovia Tietê-Paraná reabre após quase dois anos fechada por causa da seca

Cervejaria Ambev e Scania anunciam parceria em demonstração dos primeiros caminhões 100% movidos a gás liquefeito no Brasil
CEVA renova contrato de logística com a Fiat por três anos
Paulistano gasta até 4 horas por dia no trajeto casa-trabalho

hidrovias

Após 20 meses interditada devido à seca, a hidrovia Tietê-Paraná, uma das principais vias de exportação do país, será reaberta para navegação nesta quarta-feira (27), pela Marinha, graças às chuvas das últimas semanas. A interdição, feita em maio de 2014 pelo órgão, causou prejuízos de ao menos R$ 1 bilhão às empresas de navegação e tirou o emprego de cerca de 1.600 pessoas, além de afetar o transporte entre os usuários desse tipo de via.

+ Quase 99% das exportações do Brasil em 2015 passaram pelos portos

A informação,  que era para ser motivo de comemoração entre as empresas de navegação, ainda causa preocupação, pois não há garantias de que a hidrovia estará imune a um novo rebaixamento de água. O problema é que a mesma água usada na navegação é demandada para a geração de energia. Nos últimos meses, a prioridade foi usar o recurso nas hidrelétricas.

“Enquanto não tivermos a real garantia de que o nível da água não será mais reduzido, não vamos nos sentir seguros para investir de novo”, diz Edson Palmesan, presidente do sindicato dos armadores do Estado de SP.

O transporte por hidrovia é uma das opções mais baratas para a logística: o custo costuma ser um quarto do valor do transporte rodoviário, para onde muitas empresas, sem a estrutura do modal ferroviário, tiveram que migrar. O modal, que em 2013 transportou 6,2 milhões de toneladas em grãos (soja e milho, principalmente), celulose, madeira e cana, teve queda de 26,2% no volume transportado em 2014 e parou totalmente em 2015.

+ Hidrovia em Nova Xavantina (MT) avança e pode ganhar primeiros contornos

Segundo dados do setor, cerca de R$ 10 bilhões em produtos são transportados por ano pela hidrovia, que possui 2.400 km e atende SP, MG, MT, MS, PR e GO. A suspensão da navegação foi tomada por causa do baixo calado (profundidade segura para a navegação) e do excesso de pedras no reservatório de Três Irmãos, entre o km 99,5 e a eclusa de Nova Avanhandava, no sentido SP.

No momento mais crítico, em 4 de fevereiro de 2015, o reservatório de Três Irmãos atingiu o nível de 318,85 m. Para a retomada da navegação, é preciso o nível mínimo de 325,40 m. Na última semana, ele chegou a 326,40 m.

+ Saiba tudo do mundo do transporte e da logística. Curta nossa página no Facebook!

 

COMMENTS