Rodovias de má qualidade encarecem o transporte em média 25%

Rodovias de má qualidade encarecem o transporte em média 25%

Dados da Pesquisa CNT de Rodovias 2015 apontam ainda que em vias onde o pavimento é considerado péssimo o aumento chega a 91,5%

Mercedes-Benz e Volvo trazem câmbio automatizado para os semipesados
Gasto com pedágio poderá ser abatido do imposto de renda de caminhoneiros
Cobrança de pedágio de eixo suspenso em São Paulo continua em vigor

buraco

Não é novidade que nem tudo são flores para os motoristas que cruzam o país pelas estradas. Mas as condições gerais ruins das rodovias brasileiras cada vez mais reduzem a segurança de quem circula por elas e também aumentam consumo de combustível, tempo de viagem e custos de manutenção dos veículos, de lubrificantes, de pneus e de freios.

+ ANTT divulga esclarecimentos sobre registro provisório no RNTRC

Nas vias onde o pavimento é considerado péssimo o aumento chega a 91,5%. Em rodovias ruins, o aumento é de 65,6%; em regulares, 41,0%. Nas rodovias com pavimento bom, o incremento foi calculado em 18,8%. Quando o pavimento é considerado ótimo, não há aumento do custo operacional. Os dados são da Pesquisa CNT de Rodovias 2015.

Ao considerar a média de toda a extensão de rodovias avaliadas no Brasil, o impacto nesse custo operacional é de 25,8%, sendo que nas vias públicas o percentual é de 29,3% e nas concedidas, de 11,3%. O maior incremento no custo ocorre nas rodovias públicas da região Norte (36,7%), que tem muitos trechos com problemas graves no pavimento. E o menor se dá na malha concedida do Sudeste (7,6%).

+ Scania vai lançar leasing operacional para compensar fim do PSI

Como o custo do transporte, com destaque para o rodoviário, impacta diretamente no preço final dos produtos comercializados no mercado nacional, consequentemente, o nível de preços do país é influenciado pelas condições não ideais da infraestrutura das rodovias.

Investimentos em 2015

Em 2015, até o mês de setembro, o governo federal havia realizado apenas R$ 4,47 bilhões (43,3%) dos R$ 10,34 bilhões autorizados para ações de adequação, manutenção e construção de rodovias.

+ Experiência e noções de mecânica são trunfos para guiar as carretas da RTE Rodonaves

Conforme o último Plano CNT de Transporte e Logística, de 2014, são necessários pelo menos R$ 293,88 bilhões e 618 projetos para solucionar os problemas das rodovias brasileiras. Se considerar todos os modais, o plano indica 2 045 intervenções e quase R$ 1 trilhão. Entretanto, em 2014, o Brasil investiu apenas R$ 9,05 bilhões em rodovias. A expectativa é de que, em 2015, esse percentual apresente um valor ainda menor diante dos cortes provocados pelo ajuste fiscal do governo federal na tentativa de restabelecer as contas nacionais.

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

 

COMMENTS