Até 2022, controle eletrônico de estabilidade será item de série em automóveis

Sistema deverá ser implantado em veículos para o transporte de passageiros que não tenham mais de oito assentos e também em caminhões de até 3,5 toneladas

Os 10 brutos mais vendidos do Brasil
Consórcio para caminhões deverá seguir em expansão neste ano
Veículos com placa final 7 devem efetuar o licenciamento neste mês em SP

br-116-curvaO Contran (Conselho Nacional de Trânsito) publicou um resolução no Diário Oficial da União que estabelece que, a partir de 2022, os automóveis deverão sair de fábrica com o ESC, sigla em inglês para controle eletrônico de estabilidade. Mas já a contar de 2020 os projetos novos desenvolvidos pelas fabricantes deverão conter o ESC. A medida também valerá para carros importados e pode ser antecipada pela indústria automotiva. 

+ ANTT autoriza reajuste de pedágio em quatro vias concedidas

O sistema é considerado uma das inovações mais importantes em segurança veicular. Ele age corrigir a trajetória do veículo em situações de risco, como curvas fechadas e pista escorregadia, impedindo que o motorista perca o controle do carro.

A norma segue uma recomendação da ONU (Organização das Nações Unidas) e destaca o compromisso do Brasil com o Plano da Década de Ações para Segurança Viária, iniciada em 2010, que tem a meta de reduzir pela metade o número de mortos em acidentes de trânsito no mundo, até 2020.

+ São Paulo terá mais 220 radares nas rodovias em 2016

Conforme o texto, o sistema deverá ser implantado em veículos para o transporte de passageiros que não tenham mais de oito assentos e também em caminhões de até 3,5 toneladas.

Dados do Global NCAP (Programa Global de Avaliação de Carros Novos) apontam que, no mundo, 63% dos veículos já têm a tecnologia, enquanto no Brasil o sistema está implantado apenas em 9% da frota. Estudos indicam que, desde 1995, pelo menos 188,5 mil acidentes com ferimentos foram evitados e mais de 6,1 mil vidas foram salvas na Europa, onde a tecnologia já é obrigatória. Para se ter uma ideia, hoje 88% dos veículos europeus possuem o controle eletrônico de estabilidade. Na América do Norte, o índice chega a 96%.

+ ANTT quer aprimorar procedimentos de comunicação de assaltos em ônibus

A partir de 2016, o Latin NCAP (Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina), que testa a segurança dos modelos comercializados nesta região do mundo, somente dará a avaliação máxima – cinco estrelas – para os modelos que tiverem o ESC.

COMMENTS