Governo aumenta punição e greve dos caminhoneiros perde força

Justiça impôs multa de 5 800 reais para cada manifestante que bloquear as BRs

Cerca de dois mil manifestantes interditam BR-040, em Ribeirão das Neves (MG)
Justiça Federal bloqueia bens da Pluna no Brasil
Bloquear vias públicas indevidamente será passível de detenção

greve-auditores-fiscais

A greve dos caminhoneiros, que completa três dias nesta quarta-feira (11), começou a perder força após a determinação da Justiça que proibiu as interdições nas rodovias federais. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou na noite desta terça-feira (10) que o governo editará uma medida provisória para endurecer as penalidades aos caminhoneiros que mantiverem os bloqueios de rodovias no país.

+ Governo pretende reabrir linha de crédito para compra de caminhões

Segundo Cardozo, o valor da multa para cada manifestante poderá subir de 1 915 reais para 5 746 reais. Os organizadores de manifestações com bloqueio poderão ser multados em 19 154 reais. Os valores dobram em casa de reincidência.

+ Para desinchar Infraero, governo vai demitir 4 000 funcionários em 2016

Os manifestantes são contra o governo, pedem aumento dos valores dos fretes e reclamam da alta de impostos e da elevação nos preços de combustíveis, entre outras reivindicações. Além dos valores mais salgados o governo federal vai aplicar outras sanções mais duras, como:

Grevista reincidente perde, por dez anos, acesso a incentivo de crédito para adquirir novo veiculo.
Polícia Rodoviária Federal fica autorizada a contratar guincho particular para remover veículos que bloqueiam estradas. O custo do guincho será cobrado do caminhoneiro.
Força Nacional fica autorizada a atuar no desbloqueio de estradas, em auxílio à Polícia Rodoviária Federal.

+ Fique por dentro de tudo o que acontece no Transporte e na Logística pelo Facebook

COMMENTS