Cai número de passageiros do banco traseiro que não usam cinto de segurança nas estradas de SP

Ao longo do período de dezembro de 2014 para agosto de 2015, houve uma queda de 54% para 38%

ARTESP firma acordo com o governo do PR para fornecer tecnologia de pagamento eletrônico de pedágio
Carga especial paga R$ 260 mil de pedágio para cruzar SP
Novas operadoras de pedágios eletrônicos vão iniciar serviços em SP

obras-rodovia-padre

Segundo pesquisa divulgada recentemente pela Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) nas estradas paulistas, de dezembro de 2014 para agosto deste ano, houve uma queda de 54% para 38% o número de passageiros que andavam no banco traseiro dos automóveis não usavam o cinto de segurança. No caso dos condutores, houve queda de 13% para 9% e, no de passageiros do banco dianteiro, de 16% para 11%.

A agência também afirma que 69,4% dos passageiros traseiros de automóveis que sofreram acidentes e morreram estavam sem o cinto. Entre os passageiros que estavam no banco da frente, o percentual chegou a 38,4% e, entre os motoristas, 50,1%. No caso de caminhões, 66,7% das vítimas eram passageiros e 25%, motoristas.

Não usar o cinto de segurança, em qualquer situação, constitui infração grave pelo Código de Trânsito Brasileiro e resulta em multa de R$ 127,69 por ocupante sem o equipamento e a perda de cinco pontos na habilitação.

Ainda de acordo com a agência, 194.730 motoristas foram multados neste ano nas rodovias paulistas por essa infração.

COMMENTS