Testes de uso de drogas nas fiscalizações de trânsito poderão entrar em vigor em menos de um ano

Testes que ainda estão sendo estudados detectam dezenas de drogas pela saliva, como cocaína, maconha e opiáceos

Indicação de condutor principal no documento do veículo é aprovada na Câmara
STF confirma que dirigir bêbado é crime em qualquer circunstância
Câmara analisa aumento de pena para homicídio cometido por condutor de veículo

transito-RJ

Como já ocorre com o bafômetro para o consumo de álcool, o Brasil deve passar a fazer testes de uso de drogas durante as fiscalizações de trânsito em menos de um ano.

Quem afirma é o assessor do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Daniel Cândido, em audiência pública realizada na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, no dia 25/8. Cândido também disse na ocasião que a análise de produtos com essa finalidade começou há poucas semanas.

Por meio dos testes que estão prestes a serem implementados, são capazes de detectar dezenas de drogas pela saliva, como cocaína, maconha e opiáceos.
Estima-se que em aproximadamente seis meses a avaliação do equipamento será concluída nas câmaras temáticas do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

“Pode, então, surgir uma minuta de resolução do Contran para regularizar o uso, como ocorreu com o bafômetro”, afirmou.

De acordo com o presidente da ABC (Associação Brasileira de Criminalística), Bruno Telles, em 2013, a incidência de drogas ilícitas em acidentes aumentou um ponto percentual e chegou a 13%. Cada morte em rodovia, segundo o dirigente, pode chegar a custar R$ 200 mil somente em atendimento médico e hospitalar, o que onera muito os cofres públicos.

Com informações da Agência Câmara

COMMENTS